PremiumSonae falha venda em bolsa do Continente

Grupo desistiu da Oferta Pública de Venda das ações da unidade de retalho, devido ao falhanço da colocação junto de institucionais. Segundo fontes do mercado contatadas pelo Jornal Económico, a Sonae mantém a intenção de colocar a unidade de retalho em bolsa.

A Oferta Pública de Venda (OPV) da Sonae MC morreu apenas quatro dias depois de ter começado. O grupo não conseguiu concretizar uma colocação particular junto de investidores institucionais, que era uma das componentes da oferta de ações. A explicar o falhanço da operação está a turbulência nos mercados financeiros internacionais, segundo a Sonae.

“A Sonae SGPS, S.A. informa que, face às condições adversas nos mercados internacionais, a oferta institucional não se concretizará, o que determinará, consequentemente, a não execução da oferta pública de venda de ações da Sonae MC”, explicou a empresa, em comunicado divulgado no site da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). É a primeira vez, desde o fracasso da entrada em bolsa da Mota Engil África (em Londres, em 2014, pelas mesmas razões) que uma empresa portuguesa desiste de uma OPV.

Segundo fontes do mercado contatadas pelo Jornal Económico, a Sonae mantém a intenção de colocar a unidade de retalho em bolsa, mas não prevê que o ambiente nos mercados melhore nos próximos tempos, o que deixa o tema em suspenso indefinidamente. Em todo o caso, se a Sonae quiser retomar a dispersão em bolsa, terá de dar início a um novo processo, com as consequentes exigências regulatórias e financeiras.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Relacionadas

Sonae falha entrada em bolsa do negócio de retalho

Sonae cancelou Oferta Pública de Venda das ações da unidade de retalho do grupo, devido ao falhanço da colocação junto de investidores institucionais, que era uma condição essencial à concretização da entrada em bolsa.

PremiumCorrida por oferta curta e atrativa. Como a Sonae MC pode chegar ao preço máximo da OPV

O preço das ações da Sonae MC será determinado pela procura, que os analistas antecipam ser elevada entre investidores de retalho nacionais. No entanto, poderá haver fatores que levem a um desconto nos títulos da empresa.
Recomendadas

AEP e 21 empresas nacionais presentes em feira alimentar no Médio Oriente

Participação da AEP na 24ª edição da Feira Gulfood enquadra-se no programa BOW – Business on the Way, e é a segunda iniciativa levada a cabo este ano neste mercado, depois da feira Arab Health (setor médico-hospitalar) em janeiro.

Dona do Minipreço pode vender lojas fora de Espanha para salvar grupo

O Grupo DÍA, dono das lojas Minipreço e Clarel em Portugal, está a atravessar um período conturbado e que ameaçar a sua sobrevivência. Após ter sido lançada uma OPA, e depois da apresentação de resultados anuais desastrosos, a retalhista estuda todas as vias alternativas para salvar as suas operações. Uma reunião de acionistas está prevista dentro de um mês, onde a administração do grupo espera conseguir um balão de oxigénio. Caso isso não aconteça, as operações fora de Espanha não são imprescindíveis.

“Com tanta beleza, como não nos apaixonar?”. Mercadona ‘declara-se’ à cidade do Porto

“Finalmente juntos”. A Mercadona escolheu o Dia dos Namorados para se declarar à Cidade Invicta, a cidade escolhida para a cadeia de supermercados espanhola iniciar o processo de internacionalização.
Comentários