Sonae IM entra no capital da empresa de software espanhola Sales Layer

A Sales Layer levanta ronda de 3,5 milhões de euros para financiar a expansão global. A Sonae IM liderou esta ronda. Com o investimento anunciado, a Sales Layer levantou no total mais de 5 milhões em financiamento de venture capital. O objetivo da Sales Layer é concentrar-se na expansão internacional.

A Sales Layer anunciou hoje que levantou uma ronda de financiamento “série A” de 3,5 milhões de euros, liderada pelo investidor corporate venture Sonae IM, especialista na área de investimento em tecnologia do Grupo Sonae.

Desta forma a empresa da área de investimento em tecnologia do Grupo Sonae entrou no capital da Sales Layer. O grupo liderado por Cláudia Azevedo tem 33 investimentos diretos em empresas.

A Sales Layer criou uma plataforma de gestão de catálogo baseada na cloud, para conectar informação a centenas de canais, ao longo da cadeia de fornecimento.

O financiamento obtido vai permitir à Sales Layer escalar as operações internacionais, investir em vendas e marketing, adequar a sua infraestrutura ao crescimento estimado e reforçar as suas equipas de apoio ao cliente, lê-se no comunicado.

Com o investimento anunciado hoje, a Sales Layer levantou no total mais de 5 milhões em financiamento de venture capital.

A capital de risco espano-israelita Swanlaab Venture Factory e o investidor corporate venture Global Omnium também participaram na ronda.

A Swanlaab Venture Factory está baseada em Madrid e Telavive. Desde 1992 investiu mais de 600 milhões de dólares através de sete fundos e é geograficamente focada em Israel, Polónia e Espanha. A Swanlaab investe em empresas em fases early, maioritariamente séries A e B, focadas em produto, alta escalabilidade e modelos de negócio B2B, em que a diferenciação tecnológica tem um peso elevado. Historicamente, o grupo realizou mais de 130 investimentos e mais de 40 desinvestimentos bem-sucedidos.

Já a Global Omnium foca a sua atividade na gestão do ciclo da água. Ao longo de 125 anos de história, a Global Omnium tem trabalhado para o progresso e crescimento de mais de 300 municípios a nível global, melhorando o seu ambiente, através de investigação e implementação de sistemas de gestão e telecomunicações, por forma a tornar cidades mais habitáveis.

“A Global Omnium incorporou no mercado global uma solução estratégica para a transformação digital da indústria da água: Go Aigua, uma tecnologia eficaz para acompanhar empresas na revolução envolvida na interpretação e gestão de dados. Através do GoHub, a Global Omnium ajuda deep tech startups determinadas a ser game changers e disruptores em water tech, indústria 4.0 e smart cities”, detalha o comunicado.

Com o apoio da Sonae IM, Swanlaab, Global Omnium e Plug and Play, a Sales Layer espera atingir um crescimento de 300%. A sua base de clientes atual conta com mais de 200 contas e 2.400 utilizadores ativos. Esta rede inclui indústrias e retalhistas como a Teka, Rexel, Bobus, Reebok, Fermax, entre outros.

A Sales Layer é uma empresa líder em Product Information Management (PIM). A plataforma SaaS centraliza a informação de catálogo, substituindo a utilização de ferramentas desatualizadas e conectando a informação de produto a múltiplos canais de venda, websites de comércio online, tecnologias para retalho, marketplaces e plataformas B2B, adianta a nota.

Fundada pelos empreendedores Álvaro Verdoy e Iban Borràs, a Sales Layer tornou-se numa das soluções líder em gestão de informação de produto (Product Information Management ou PIM), ajudando marcas e retalhistas a centralizar os seus catálogos de forma digital, enriquecida e multicanal.

“A tecnologia PIM está a substituir ferramentas internas e desatualizadas para a partilha de informação de produto. De forma disruptiva, a Sales Layer criou uma plataforma de gestão de catálogo baseada na cloud, para conectar informação a centenas de canais, ao longo da cadeia de abastecimento”, refere o comunicado.

A Sales Layer posiciona-se como a solução para revolucionar o modo como os retalhistas abordam a gestão de catálogo das compras online e a experiência de produto para os seus consumidores. Esta tendência veio a ser reforçada com a recente crise pandémica, onde as empresas se aperceberam que não se podem dar ao luxo de não ter presença digital.

“De facto, com o crescimento acelerado do ecommerce em resultado da pandemia, o investimento em inovação e digitalização tornou-se globalmente essencial para o retalho”, lê-se na nota.

“A Sales Layer, como peça fundamental neste espaço, observou resultados imediatos, com a atenção redobrada do setor. Mesmo anteriormente à situação vivida, a Sales Layer já havia demonstrado um crescimento de vendas excecional (mais de 300%) e uma forte expansão internacional, com cerca de 200 novas contas em mais de 25 países. A base de clientes da empresa inclui indústrias e retalhistas como a Teka, Rexel, Bobux, Reebok, e Fermax”, acrescenta.

A Sales Layer pretende concentrar esforços na sua expansão operacional a nível internacional, triplicando a sua equipa para mais de 80 empregados, “expandindo a sua infraestrutura e oferecendo o melhor apoio ao cliente”, refere ainda o comunicado.

Na mesma nota o “jovem empreendedor, fundador e CEO Álvaro Verdoy” diz que “o nosso objetivo é ajudar departamentos de marketing de produto a gerir a complexidade de conectar milhões de SKUs, imagens e atributos que têm de ser enriquecidos colaborativamente, através de um crescente número de canais de venda”.

“Os catálogos digitais são chave como fonte de vendas para os negócios atuais, mas são simultaneamente o maior desafio de transformação digital para milhões de indústrias e retalhistas. Os tempos mais recentes com o impacto do Covid na vida das pessoas, colocaram a digitalização e o ecommerce na lista de prioridades”, pelo a Sales Layer “pode certamente ter uma posição de liderança neste novo normal, onde a presença online é fulcral”, acrescenta o CEO.

“Além disso, o papel da Sonae IM, um especialista em retalho de um grupo multinacional com forte ADN, mostra o crescente interesse em soluções PIM”, diz ainda o gestor.

De acordo com Eduardo Piedade, CEO da Sonae IM, “A informação de produto é um elemento chave para equipas de vendas e marketing, constituindo um diferenciador claro para o retalho online e para marcas”.

“A Sales Layer desenvolveu uma plataforma que permite gerir a informação de produto internamente e ao longo de um crescente número de canais, de uma forma altamente eficiente, fácil de usar e consistente. Por outro lado, acreditamos fortemente na presença omnichannel, sendo que a recente crise veio lembrar-nos da necessidade dos retalhistas diversificarem as formas de contacto com os consumidores. Enquanto investidor ativo especializado em retalho, estamos muito entusiasmados em apoiar uma empresa como a Sales Layer, forte na área de PIM e com um plano ambicioso de crescimento internacional”, refere o CEO da Sonae IM.

“A Sonae IM investe globalmente em empresas com tecnologias para retalho e telecomunicações, assim como em cibersegurança. A Sonae IM tem 33 investimentos diretos, incluindo participações em empresas em fase early e growth e participações em 20 empresas, através da Armilar Venture Partners”, lê-se no comunicado.

 

Ler mais
Recomendadas

António Saraiva: “Empresas precisam de apoios a fundo perdido. Não querem agravar dívida”

O barómetro semanal CIP/ISCTE revela que 82,2% das empresas preferem apoios para capitalização que não agravem o seu endividamento e 41,7% dizem que querem suspender ou cancelar investimentos previstos para 2020. O presidente da CIP, António Saraiva diz que as necessidades das linhas de apoio às empresas aumentaram para 10,5 mil milhões de euros.

Centros comerciais e lojistas preparados para reabrir em junho

“A APCC [Associação Portuguesa de Centros Comerciais] enquanto interlocutor deste setor em Portugal reitera que os centros comerciais e os seus lojistas estão preparados para voltar em pleno no início da fase três do plano de desconfinamento, tal como previsto”, indicou, em comunicado, a associação.

Governo alemão e Lufthansa fecham resgate que pode ascender a 9 mil milhões de euros

Com este resgate, o governo alemão ficará como principal acionista da companhia aérea com 20% de participação no capital da empresa. O acordo permanecerá pendente até que a Comissão Europeia dê o seu “aval”.
Comentários