Sonae reforça posição na Sonae Sierra ao comprar 10% do capital desta à Grosvenor

O grupo com sede na Maia passa assim a deter 80% da Sonae Sierra, depois de adquirir 10% por uns estimados 82,16 milhões de euros à Grosvenor.

A Sonae informou esta sexta-feira ter reforçado a sua posição na Sonae Sierra, fruto da compra de 10% do capital que se encontrava na posse da Grosvenor Investments, conforme se pode ler no comunicado do grupo empresarial sediado na Maia.

A operação foi realizada por um montante estimado em 82,16 milhões de euros, o que representa um desconto implícito de aproximadamente 11% sobre o mais recente valor real líquido da Sonae Sierra, que data de setembro passado. A Sonae passa assim a deter 80% dos capitais da Sonae Sierra, reforçando assim a sua posição na empresa.

“O principal impacto desta operação nas demonstrações financeiras consolidadas do Grupo será a transferência de Reservas de «Interesses Sem Controlo» para «Capital Próprio do Grupo», uma vez que a Sonae já detém uma participação de controlo de 70% na Sonae Sierra”, esclarece o comunicado do grupo.

A Sonae faz ainda saber que “o exercício irrevogável desta opção de venda está condicionado à confirmação final por parte da Grosvenor na sequência da aprovação das contas consolidadas auditadas da Sonae Sierra para o exercício de 2020”.

Recomendadas

Novo Banco: Avaliadores não veem razões para mudanças de valores de imóveis em seis meses

O responsável, ouvido esta quinta-feira na audição do presidente da ANAI Ramiro Teixeira Gomes na Comissão Eventual de Inquérito Parlamentar às perdas registadas pelo Novo Banco e imputadas ao Fundo de Resolução, referia-se a “perdas de imparidades de uma instituição financeira, neste caso o Novo Banco, por via de ativos” imobiliários.

Cavaco lamenta “interpretações abusivas” acerca de declarações sobre BES

O antigo Presidente da República classificou de “intuitos pouco honestos” as declarações de quem fez “interpretações abusivas” das suas palavras sobre o BES antes da resolução, “chegando ao ponto de afirmar” que “tinha incentivado as aplicações em instrumentos financeiros do BES ou do respetivo grupo não financeiro”.

Sines vai arrancar com Data Centre Campus, um investimento que pode chegar a 3,5 mil milhões

A cerimónia de apresentação do projeto, que pode criar até 1.200 empregos qualificados e é da responsabilidade da empresa star campus, será encerrada pelo primeiro-ministro, António Costa.
Comentários