Sonae Sierra inicia novo ciclo com estratégia com nova equipa

Novo ciclo da Sonae Sierra aposta no negócio de gestão de investimentos imobiliários e na promoção de projetos urbanos sustentáveis e diferenciadores de usos integrados (residencial, escritórios, lazer e comercial).

A Sonae Sierra, do grupo Sonae, vai reforçar a aposta na oferta de serviços multidisciplinares aos investidores imobiliários (através da marca Reify), com o desenvolvimento de experiências diferenciadoras de consumo sustentável e multicanal, sendo este o foco da estratégia para o portefólio global de centros comerciais. A envolver o novo posicionamento estratégico, “a empresa renova a sua comissão executiva”, refere a empresa em comunicado oficial divulgado esta segunda-feira.

A Sonae Sierra inicia assim “um novo ciclo com uma estratégia renovada, assente em três eixos”. O primeiro “aposta na expansão do negócio de gestão de fundos de investimento, que permitirá alargar a criação de veículos desenhados à medida das preferências de cada parceiro”. O segundo diz respeito ao “alargamento da atividade de promoção imobiliária a projetos urbanos sustentáveis e diferenciadores, que integram, na vida das comunidades locais, diferentes usos imobiliários (residencial, escritórios, lazer e comercial) de forma coerente”. Através da Reify, a empresa continuará ainda a reforçar a prestação de serviços imobiliários para espaços urbanos do futuro, no contexto das novas vivências projetadas para as cidades e da Green Agenda da União Europeia.

O terceiro consiste na “criação de experiências diferenciadoras e multicanal nos centros comerciais sob gestão, acrescentando valor para os consumidores, lojistas e parceiros, e antecipando tendências de digitalização e sustentabilidade do consumo neste mercado”.

Citado pelo comunicado, Fernando Guedes de Oliveira, CEO da Sonae Sierra, explica que “a conclusão da maior transação dos nossos 30 anos de história, com a criação da Sierra Prime em 2020, representou um ponto de viragem estratégico para nós. É tempo de iniciarmos um novo capítulo na Sonae Sierra”. “Vamos alavancar o nosso know-how no sector imobiliário para servir novos mercados e novos clientes, tanto através da gestão de veículos de investimento, quanto da expansão da nossa atividade para setores do imobiliário para além do retalho. A nossa presença internacional servirá para criar as melhores experiências de consumo sustentável e multicanal, nos centros comerciais que gerimos, capitalizando nas tendências emergentes em diferentes pontos do mundo”, diz.

Para acompanhar o reposicionamento estratégico, a estrutura da organização também mudou. Liderada por Fernando Guedes de Oliveira, a comissão executiva foi renovada e é agora composta por Luís Mota Duarte, que acumula a função de CFO com a responsabilidade pela área de Investment Management (gestão de veículos de investimentos imobiliários), Alexandre Fernandes, que passa a dirigir a área de Developments (desenvolvimento de ativos imobiliários), Cristina Santos, que assume a liderança da área de Property Management e Leasing (gestão de espaços comerciais), Jorge Morgadinho, que continua à frente da recém-criada Reify, unidade de negócio prestadora de serviços transversais de criação, renovação e melhoria de espaços, Ana Guedes de Oliveira, que lidera a área de Asset Management (focada na preservação e criação de valor imobiliário do portefólio de centros comerciais na Europa), Inês Drummond Borges, que integra os quadros da Empresa como Chief Transformation Officer, para liderar o processo de transformação cultural, comercial e digital e Joaquim Pereira Mendes, que se mantém como responsável pela área Legal, Fiscal e Compliance.

“Esta composição assegura que a reconhecida experiência e track-record da Sonae Sierra no mercado imobiliário e de gestão de ativos é reforçada com uma capacidade acrescida de gestão de veículos de investimento e complementada com competências de transformação de negócio”, conclui o comunicado.

A Sonae Sierra tem atualmente quatro projetos de desenvolvimento e uma expansão e aproximadamente 7 mil milhões de euros em ativos sob gestão. A empresa gere ainda oito veículos de investimento para investidores institucionais e de retalho.

Recomendadas

Do “Cartão Vermelho” ao “Fora de Jogo”: como combater as ilegalidades do futebol português? Veja o “Jogo Económico”

Acompanhe o “Jogo Económico” na plataforma multimédia JE TV, através do site e das redes sociais do Jornal Económico.

Presidente da República diz que Alemanha e Volkswagen prometeram e cumpriram com Portugal

“A Autoeuropa correu bem porque, em primeiro lugar – como já disse o senhor primeiro-ministro -, nós mostrámos que éramos capazes de fazer bem feito”, disse Marcelo Rebelo de Sousa, salientando que os portugueses também demonstraram ser capazes de ser consistentes na produção de qualidade, capacidade de resiliência e de inovação.

Portuguesa Blue Oasis Technology foi uma das startups vencedoras do programa das fundações Oceano Azul e Calouste Gulbenkian

A empresa, com menos de um ano de vida, desenha, constrói e instala “recifes” artificiais que permitem a, recuperação de ecossistemas marinhos danificados e a reversão do declínio da biodiversidade do oceano. Noruegueses da Tekslo Seafood e argentinos da FeedVax também se destacaram.
Comentários