Sondagem aponta para eleição de André Ventura em Lisboa, com Santana Lopes e Cotrim de Figueiredo em dúvida e Joacine Katar-Moreira de fora

PS ficará muito perto de eleger metade dos deputados do maior círculo eleitoral, com o dobro dos mandatos conquistados pelo PSD, e pode haver nove partidos e coligações com representantes dos eleitores lisboetas na próxima legislatura.

Um estudo de opinião feita pela Eurosondagem para o partido Chega indica que o seu cabeça de lista pelo círculo de Lisboa, André Ventura, será eleito deputado, podendo suceder o mesmo ao líder do Aliança, Pedro Santana Lopes, e ao primeiro nome indicado pela Iniciativa Liberal, João Cotrim de Figueiredo, deixando a cabeça de lista do Livre, Joacine Katar-Moreira, de fora da Assembleia da República.

Segundo a Eurosondagem, que realizou 710 entrevistas a eleitores do maior círculo português, que passa a eleger 48 deputados, o partido mais votado em Lisboa será o PS, sendo-lhe projetado um resultado de 40,8%, que permitiria eleger entre 22 e 23 deputados, com grande vantagem em relação ao PSD, que apresenta apenas 20,5% das intenções de voto e 11 mandatos. Seguir-se-iam o Bloco de Esquerda, com 9,8% e cinco deputados, a CDU, com 7,7% e quatro deputados, enquanto o CDS-PP cairia para 5,2%, podendo colocar dois ou três parlamentares, e o PAN subiria para 4,0%, passando a ter dois deputados.

Entre os partidos que ainda não têm representação parlamentar, segundo o estudo de opinião da Eurosondagem, o Chega ficaria com 1,9%, o que garantia a eleição de André Ventura, sendo o mesmo também possível para os cabeças de lista da Aliança e da Iniciativa Liberal, ambos com 1,7% de intenções de voto. Mais atrás, o Livre surge com apenas 1,2%, enquanto os outros partidos, votos brancos e nulos somam 5,5%.

Em 2015, a coligação Portugal à Frente foi a mais votada em Lisboa, com 34,7% e elegeu 18 deputados (13 do PSD e cinco do CDS-PP), os mesmos que o PS, que teve 33,5%. Em terceiro ficou o Bloco de Esquerda, com 10,9% e cinco deputados, mas há quatro anos a CDU teve um resultado melhor, com 9,8% dos votos e cinco mandatos. Numa altura em que o círculo elegia menos um deputado do que os 48 em jogo nas legislativas de 6 de outubro, deu-se ainda a estreia do PAN, com 2,0% dos votos a bastarem para a eleição de André Silva.

FICHA TÉCNICA

Estudo de Opinião efetuado pela Eurosondagem, S.A. para o Partido CHEGA nos dias 30 de Setembro e 1 de Outubro de 2019.

Entrevistas telefónicas, realizadas por entrevistadores selecionados e supervisionados.

O Universo é a população com 18 anos ou mais, residente no Distrito de Lisboa, e habitando em lares com telefone da rede fixa.

Foram efetuadas 848 tentativas de entrevistas e, destas 138 (16,3%) não aceitaram colaborar no Estudo de Opinião. Foram validadas 710 entrevistas.

Erro máximo da Amostra é de 3,68%, para um grau de probabilidade de 95,0%.

Responsável Técnico da Eurosondagem, Rui Oliveira Costa

Ler mais
Recomendadas

Deputados aprovam orçamento suplementar da Assembleia da República

No plano da receita, é integrada uma verba de 9,9 milhões de euros, relativa à rubrica “saldo da gerência anterior/saldo orçamental”.

Concelhos em alerta. Só Cabeceiras de Basto dá o passo atrás no desconfinamento

O cordão sanitário manter-se-á nas duas freguesias de Odemira. Ainda assim, a ministra Mariana Vieira da Silva diz que a redução da incidência do vírus “é um sinal de uma pandemia que se encontra controlada, pese embora a existência de surtos”.

Luís Osório: “António Costa é um político à antiga. Poderia discutir política com Soares, Cunhal ou Sá Carneiro”

“Ficheiros Secretos – Histórias Nunca Contadas da Política e da Sociedade Portuguesas” é o novo livro de Luís Osório, que se propõe a contar histórias até agora desconhecidas de protagonistas como Mário Soares, Álvaro Cunhal, Cavaco Silva, entre outros. Saiba mais nesta Fast Talk da JE TV com o jornalista e escritor.
Comentários