Taxa de cobertura dos depósitos em Portugal caiu para 1,04% em 2020

O Fundo de Garantia de Depósitos (FGD) até registou o resultado líquido menos negativo dos últimos quatro anos, detalha o relatório e contas do organismo, mas o crescimento dos depósitos dos portugueses determinou que a capacidade do fundo para os cobrir tenha descido. Por cada 100 euros depositados, o FGD consegue agora cobrir 1,04 euros.

A proporção de depósitos efetivamente cobertos pelo Fundo de Garantia de Depósitos (FGD) baixou em 2020 para 1,04%, segundo o relatório e contas conhecido esta quarta-feira. Isto significa que, por cada 100 euros de depósito, o FGD consegue cobrir 1,04 euros, o que compara com os 1,13 registados no ano anterior.

“A relação entre os recursos próprios do FGD e os depósitos efetivamente cobertos pela garantia reduziu-se ligeiramente em 2020, para 1,04% (em 31 de dezembro de 2019 era de 1,13%), valor ainda assim claramente acima do nível de 0,8% que a legislação europeia estabelece como objetivo de capitalização dos sistemas de garantia de depósitos a atingir até julho de 2024”, refere Luís Máximo dos Santos, presidente da Comissão Diretiva do FGD e vice-governador do Banco de Portugal (BdP).

Segundo o documento, os recursos do FGD até atingiram um máximo em 2020, totalizando 1.674 milhões de euros, o que representa um acréscimo de 132,3 milhões de euros, ou 8,6%, em relação ao ano anterior. Esta variação deveu-se, sobretudo, à “transferência de recursos do FGCAM [Fundo de Garantia do Crédito Agrícola Mútuo], nos termos do disposto no Decreto-Lei n.º 106/2019 de 12 de agosto, no montante de 133,00 milhões de euros”.

No entanto, o resultado líquido em 2020 foi negativo, tendo atingido os 1,09 milhões de euros de prejuízos, o que também impactou os recursos próprios do FGD. Ainda assim, este valor foi menos negativo do que em 2019, 2018 e 2017, detalha o relatório, quando os resultados líquidos do organismo se fixaram em -1,56 milhões de euros, -3,43 milhões de euros e -2,97 milhões de euros, respetivamente.

Estes resultados apontam para um crescimento dos depósitos das famílias portuguesas superior ao crescimento das garantias deste fundo, o que é consistente com o valor máximo registado em depósitos no sistema bancário, algo que o BdP havia já reportado no final do passado mês.

Recomendadas

Beneficiários de prestações de desemprego sobem 0,4% em agosto

O número de beneficiários de prestações de desemprego caiu em agosto 4,1% face a julho, mas subiu 0,4% quando comparado com o mesmo mês do ano passado, para 231.212, segundo as estatísticas mensais oficiais publicadas hoje.

Trabalhadores em ‘lay-off’ tradicional caem 64,2% em agosto face a julho

O número de trabalhadores em ‘lay-off’ tradicional, o regime previsto no Código do Trabalho, caiu 64,2% em agosto face a julho, para 4.828, revelam as estatísticas mensais da Segurança Social divulgadas hoje.

ADSE recua e volta a comparticipar atos prescritos pelo SNS

A Associação Nacional de Beneficiários da ADSE (Associação 30 de Julho) revelou hoje que a ADSE recuou, perante uma reclamação da entidade, e vai voltar a comparticipar atos prescritos pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS).
Comentários