Taxa de inflação mantém-se nos 0,5% em março

A taxa de inflação homóloga em março foi idêntica à de fevereiro. O indicador de inflação subjacente registou uma variação homóloga de 0,1%.

José Coelho/Lusa

A variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) estabilizou nos 0,5% em março, segundo os dados publicados esta terça-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

De acordo com o organismo de estatística, descontando produtos alimentares não transformados e energéticos registou-se uma variação homóloga do índice de 0,1%, inferior em 0,6 pontos percentuais (p.p.) à registada em fevereiro.

O INE explica ainda que a variação mensal do IPC foi 1,4%, sendo que a variação média dos últimos doze meses manteve-se nula.

Já o Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português registou uma variação homóloga de 0,1%, uma taxa inferior em 0,2 p.p. à do mês anterior e inferior em 1,2 p.p. ao valor estimado pelo Eurostat para a zona euro. O IHPC registou uma variação mensal de 1,5% (-0,5% no mês anterior e 1,6% em março de 2020) e uma variação média dos últimos doze meses de -0,2% (valor idêntico ao do mês precedente).

Recomendadas

Bruxelas aponta para taxa de desemprego de 6,8% em Portugal este ano

A projeção da Comissão Europeia compara com os 7,3% previstos pelo Governo no Plano de Estabilidade. No ano passado, a taxa de desemprego fixou-se nos 6,8%.

Bruxelas revê em alta. Economia da zona euro deverá expandir 4,3% em 2021

O investimento público, como proporção do PIB, deve atingir o nível mais alto em mais de uma década em 2022, afirmou a Comissão Europeia, adiantando que nesse ano a economia da zona euro deverá expandir 4,4%.

Comissão Europeia projeta défice de 4,7% para Portugal em 2021, acima da previsão do Governo (com áudio)

Bruxelas atualizou as suas previsões económicas para 2021, antecipando agora um cenário ligeiramente distinto do elaborado em outubro, quando o défice era visto a chegar aos 4,5% do PIB e a dívida pública a atingir 130,3%. No Plano de Estabilidade apresentado em abril, o Governo inscreveu um défice de 4,5% e um rácio de dívida pública de 128%.
Comentários