Tecnológica IBM expande serviços de cloud híbrida com banca e saúde na mira

A “IBM Cloud Satellite” pretende permitir aos clientes – altamente regulados e com um grande volume de informação para processar -controlarem o armazenamento das suas informações e de grandes quantidades de dados online.

A IBM (International Business Machines) lançou formalmente o seu serviço de nuvem (cloud) híbrida esta segunda-feira – designado “IBM Cloud Satellite” – para permitir aos clientes internacionais controlarem o armazenamento das suas informações e de grandes quantidades de dados online.

O pacote inclui o depósito de data interno e em plataformas cloud públicas, como a da Amazon Web Services (AWS) ou a da Microsoft (Azure), e está direcionado a sectores altamente regulados e repletos de informação para processar, entre os quais o financeiro e o da saúde. Telecomunicações e empresas públicas também se encontram no radar da empresa norte-americana.

“A IBM está a trabalhar com clientes para alavancar tecnologias avançadas como edge computing e inteligência artificial, permitindo que se transformem digitalmente com a cloud híbrida enquanto mantêm a segurança dos dados em primeiro lugar”, garantiu Howard Boville, responsável da plataforma da IBM.

A Lumen Technologies, anteriormente conhecida como CenturyLink, será uma das parceiras da IBM neste serviço e está encarregue de implantar o serviço em 180 mil localizações de empresas, auxiliando-as, segundo a cotada de Wall Street, a entregar baixa latência, mantendo os mesmos níveis de segurança, privacidade de dados, interoperabilidade e padrões abertos encontrados em ambientes de cloud híbrida”.

“Com o IBM Cloud Satellite, os clientes podem obter com segurança os benefícios dos serviços em cloud em qualquer lugar, desde o core do centro de dados até os pontos mais distantes da rede”, assegurou ainda Howard Boville, em comunicado divulgado à imprensa.

Recomendadas

Novo Banco: Avaliadores não veem razões para mudanças de valores de imóveis em seis meses

O responsável, ouvido esta quinta-feira na audição do presidente da ANAI Ramiro Teixeira Gomes na Comissão Eventual de Inquérito Parlamentar às perdas registadas pelo Novo Banco e imputadas ao Fundo de Resolução, referia-se a “perdas de imparidades de uma instituição financeira, neste caso o Novo Banco, por via de ativos” imobiliários.

Cavaco lamenta “interpretações abusivas” acerca de declarações sobre BES

O antigo Presidente da República classificou de “intuitos pouco honestos” as declarações de quem fez “interpretações abusivas” das suas palavras sobre o BES antes da resolução, “chegando ao ponto de afirmar” que “tinha incentivado as aplicações em instrumentos financeiros do BES ou do respetivo grupo não financeiro”.

Sines vai arrancar com Data Centre Campus, um investimento que pode chegar a 3,5 mil milhões

A cerimónia de apresentação do projeto, que pode criar até 1.200 empregos qualificados e é da responsabilidade da empresa star campus, será encerrada pelo primeiro-ministro, António Costa.
Comentários