Tenha atenção aos falsos intermediários de crédito no Facebook, alerta Deco

Se quiser consultar a lista das entidades autorizadas a conceder crédito em Portugal, a atuar como intermediários de crédito ou a prestar serviços de consultoria relativamente a contratos de crédito poderá fazê-lo no sítio do Banco de Portugal, em www.bportugal.pt ou no Portal do Cliente Bancário https://clientebancario.bportugal.pt.

O Banco de Portugal emitiu recentemente um alerta sobre falsos intermediários de crédito, mais concretamente sobre as entidades que atuam através da rede social Facebook sob as designações “LOURENÇO LTD PORTUGAL” e “LOURENÇO GRUPO” (com e-mail lourencogrupopt@gmail.com e sousagrupo.pt@gmail.com) não se encontram habilitadas a exercer, em Portugal, qualquer atividade financeira reservada às instituições sujeitas à supervisão do Banco de Portugal.

Assim, está interdita a estas entidades a concessão de crédito, a intermediação de crédito ou a prestação de serviços de consultoria em contratos de crédito, pois esta atividade está apenas reservada a entidades habilitadas e autorizadas pelo Banco de Portugal.

Se quiser consultar a lista das entidades autorizadas a conceder crédito em Portugal, a atuar como intermediários de crédito ou a prestar serviços de consultoria relativamente a contratos de crédito poderá fazê-lo no sítio do Banco de Portugal, em www.bportugal.pt ou no Portal do Cliente Bancário https://clientebancario.bportugal.pt.

A DECO, face ao crescente número de burlas relacionadas com falsos intermediários de crédito, alerta os consumidores para a necessidade de estarem atentos e não se deixarem enganar.

Informe-se connosco.

Se precisar de ajuda, conte com a DECO! Conte com o apoio da DECO MADEIRA através do número de telefone 968 800 489/291 146 520, do endereço eletrónico deco.madeira@deco.pt. Pode também marcar atendimento via Skype. Siga-nos nas redes sociais Facebook, Twitter, Instagram, Linkedin, Youtube e visite o nosso site DECO!

 

Recomendadas

Poupanças dos portugueses subiram em ano de pandemia

A poupança dos portugueses subiu de 7,4% para 14,2% em período de pandemia mas a maioria não é rentabilizada porque está em depósitos à ordem e a prazo, conclui a Deco. O investimento em certificados de aforro teve um aumento, passando de 12 mil milhões em período pré-pandemia para 12,4 mil milhões em agosto de 2021.

Saiba como funciona e para que serve uma certidão de não dívida

Estes documentos podem ser necessários, por exemplo, se pretender solicitar um adiamento da prestação do crédito à habitação.

Saiba o que tem de fazer antes de assinar um contrato de arrendamento

Procure de forma intensiva todas as opções do mercado, visto que uma análise com mais ponderação e paciência pode fazer toda a diferença.
Comentários