Tesouro paga taxas negativas para emitir 1.750 milhões em dívida a seis meses e um ano

O Tesouro emitiu mil milhões de euros em dívida a um ano com uma taxa de alocação de -0,351%, mais negativa do que a registada em março. Colocou ainda 750 milhões de euros em dívida a seis meses, tendo pago uma taxa de -0,411%.

Cristina Bernardo

O IGCP- Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública pagou taxas negativas para colocar 1.750 milhões de euros em dívida a seis meses e um ano, num leilão duplo nesta quarta-feira que tinha o montante indicativo global entre 1.500 milhões de euros e 1.750 milhões de euros.

O Tesouro emitiu mil milhões de euros em dívida a um ano com uma taxa de alocação de -0,351%, que compara com os -0,101%, registados em março. Colocou ainda 750 milhões de euros em dívida a seis meses, tendo pago uma taxa de -0,411%, que compara com o -0,089%, conseguidos na colocação anterior.

Filipe Silva, diretor de investimentos do Banco Carregosa salientou que as taxas desceram nas duas maturidades, face aos leilões anteriores. “Os países da periferia e em particular Portugal, têm vindo a beneficiar dos planos de compra de ativos, bem como do alívio das condições dos mesmos por parte do Banco Central Europeu”.

Recordou que esta semana deverá haver haja uma versão final do acordo proposto entre a França e Alemanha, de um pacote de 500 mil milhões de euros para ajudar os países mais afetados, a recuperar da pandemia causada pelo Covid-19.

“Além das ajudas financeiras, Portugal tem sido bem visto internacionalmente pela forma como tem lidado com o vírus, e são estes fatores combinados que têm permitido dar mais confiança aos investidores e como consequência uma redução do prémio de risco de Portugal”, vincou Filipe Silva.

Em termos de procura, superou a oferta em 2,69 vezes na dívida a seis meses e em 3,02 vezes nas BT a um ano.

Em abril, Portugal tinha pago pela primeira vez ao fim de quatro anos uma taxa de juro positiva para emitir Bilhetes do Tesouro, colocando 840 milhões de euros em dívida a 11 meses com uma taxa média ponderada de 0,038%.

(Atualizada às 10h59)

Ler mais

Relacionadas

Costa considera “excelente” o plano franco-alemão mas avisa que há aspetos em aberto

O primeiro-ministro considerou hoje “uma excelente proposta” o plano franco-alemão para a criação de um fundo de recuperação europeu de 500 mil milhões de euros baseado em subvenções, mas advertiu que há “importantes” aspetos em aberto.

Marcelo otimista que Fundo de Recuperação não agravará dívida pública

O Presidente da República manifestou-se hoje otimista quanto à aprovação pela União Europeia de um Fundo de Recuperação para as economias afetadas pela covid-19 com “montante significativo” e que não agrave a dívida pública dos Estados-membros.

Macron e Merkel propõem fundo de recuperação de 500 mil milhões de euros

Eixo Berlim-Paris apresentou publicamente uma proposta para que o plano de recuperação europeu ascenda aos 500 mil milhões de euros. A Comissão Europeia congratula a proposta e diz que vai na direção que o executivo comunitário está a trabalhar.
Recomendadas

PSI-20 fecha em alta com subida de 6% da Mota Engil. Europa com ganhos acima de 2%

A bolsa portuguesa subiu abaixo dos seus pares europeus. No PSI-20 a Mota-Engil destaca-se pela subida de mais de 6%. Na Europa, a Lufthansa e a Bayer brilharam com subidas de mais de 7%. A Alemanha o destaque vai para a economia que foi arrastada pela queda no consumo privado do 1.º trimestre de 2020.

Guerra comercial não assusta os touros de Wall Street

Enquanto as palavras vão e vêm, o certo é que Wall Street valorizou mais de 3% nos últimos cinco dias.

PSI 20 abre semana no ‘verde’ impulsionado pela Sonae Capital e Navigator

Praça lisboeta iniciou a sessão a subir 0,44%, para 4.260,09 pontos na manhã desta segunda-feira, seguindo a tendência da maioria das suas congéneres europeias.
Comentários