Tiago Mayan acusa Marcelo Rebelo de Sousa de ser o “carro-vassoura” dos erros do Governo

Candidato presidencial apoiado pela Iniciativa Liberal diz que “os portugueses tiveram um Presidente empenhado em disfarçar os piores momentos da governação socialista”.

O candidato presidencial apoiado pela Iniciativa Liberal, Tiago Mayan , acusou o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, de se comportar como o “carro-vassoura” dos erros do Governo de António Costa, aparecendo “sempre a prometer apurar tudo sem que se garanta que de facto algo muda”.

Numa publicação partilhada neste domingo nas redes sociais, o advogado portuense enumera os momentos do mandato presidencial em que “Marcelo, o apurador” afirmou que era preciso apurar apurar tudo sobre os incêndios de Pedrógão Grande, o furto das armas militares em Tancos, o aluimento da estrada junto às pedreiras de Borba, os negócios ruinosos da Caixa Geral de Depósitos, os critérios na distribuição de apoios à comunicação social e as causas do acidente ferroviário em Soure.

“Ao longo do mandato, Marcelo Rebelo de Sousa não se soube posicionar no patamar de isenção que a função lhe impunha. Quando esperavam verdade, exigência e responsabilidade, os portugueses tiveram um Presidente empenhado em disfarçar os piores momentos da governação socialista”, afirma Tiago Mayan.

Mayan apresentou a candidatura presidencial no final de julho, contando com o apoio da Iniciativa Liberal, juntando-se ao presidente e deputado único do Chega, André Ventura, na tentativa de vencer Marcelo Rebelo de Sousa nas presidenciais que se irão realizar em janeiro de 2021.

Ler mais
Relacionadas

Iniciativa Liberal apresenta Tiago Mayan Gonçalves como candidato presidencial

Advogado portuense de 43 anos, que é presidente do conselho de jurisdição do partido e está ligado ao movimento de Rui Moreira, promete ser o candidato para eleitores “que não se reveem num Presidente que abdicou de o ser ou em populistas de esquerda e de direita”.
Recomendadas

PAN: “Estado de Emergência não significa necessariamente que tenha que existir um confinamento”

Em declarações ao Jornal Económico, Inês Sousa-Real assinala que “o que importa neste momento é percebermos onde é que estão as cadeias de transmissão”, defendendo que proporcionalidade e adequação das medidas consoante as localidades e regiões.

“Não desistimos de nenhuma batalha antes de acabar”. PCP apresenta propostas de alteração ao OE 2021

Entre as medidas apresentadas, no campo da justiça fiscal, João Oliveira anunciou que os comunistas pretendem a “atualização dos escalões IRS, o aumento de mais um escalão neste imposto aumentando a progressividade do mesmo, bem como o aumento dos chamados valores do mínimo de existência e dedução especifica, permitindo cumprir o objetivo de redução da tributação dos rendimentos mais baixos, intermédios”.

Governo vai ter de responder a providência cautelar do Chega contra restrições à circulação sem estado de emergência

Supremo Tribunal Administrativo dá 24 horas ao Conselho de Ministros para se pronunciar sobre alegação de inconstitucionalidade da resolução que proíbe deslocações entre concelhos das 00h00 de sábado até às 06h00 da próxima terça-feira.
Comentários