TikTok será banida dos EUA a 15 de setembro se não for vendida, avisa Donald Trump

Até 15 de setembro a Microsoft e a ByteDance terão que chegar a um consenso sobre a venda da ‘app’. Donald Trump deixa o aviso de que se o Tik Tok não for vendido nos próximos 45 dias, será banida dos EUA.

tik tok

O aviso foi feito. A empresa chinesa de vídeos curtos terá que fechar acordo com uma empresa norte-americana até 15 de agosto se quiser manter as operações nos EUA. A ameaça foi feita esta segunda-feira pelo presidente norte-americano em declarações aos jornalistas.

“Determinei uma data em torno de 15 de setembro como altura em que deixará de operar nos EUA, a menos que a Microsoft ou outra empresa a compre”, citou a Bloomberg as declarações de Donald Trump.

Assim, as negociações entre a Microsoft e a app de vídeos instantâneos, que tem para já 2,2 mil milhões de downloads a nível mundial, deverão continuar. Esta manhã, a gigante tecnológica anunciou que pretende avançar com a aquisicão.

“A Microsoft vai avançar rapidamente para continuar as discussões com a empresa-mãe do TikTok, ByteDance, numa questão de semanas, e em qualquer caso completar estas conversações o mais tardar até 15 de setembro de 2020”, lê-se no comunicado da empresa norte-americana.

A decisão da Microsoft foi anunciada depois de o presidente executivo da tecnológica, Satya Nadella, ter reunido com Trump. Na sexta-feira, o presidente dos EUA tinha anunciado a intenção de proibir o uso do Tik Tok nos Estados Unidos.

A proposta de aquisição dos serviços da TikTok nos EUA, “oferecerá à Microsoft uma rara oportunidade de se tornar uma concorrente de relevo junto de gigantes das redes sociais como o Facebook e a Snap”, destaca a “Reuters”. Atualmente, o Instagram soma mais de 2,5 mil milhões de downloads.

De acordo com a agência “Reuters”, a autorização de Trump para que Nadella continue em conversações com a ByteDance para adquirir a rede social Tik Tok nos EUA, representa uma reviravolta em todo o processo, uma vez que a administração Trump considera que as empresas tecnológicas chinesas constituem um risco à segurança nacional norte-americana.

A Microsoft valorizou 65 mil milhões de euros no mercado bolsista esta segunda-feira, depois de confirmar que continua em conversações para comprar plataforma TikTok nos Estados Unidos, informa o “Markets Business Insider”.

As ações da Microsoft subiram 5% esta segunda-feira, sendo que o valor total de mercado da empresa é superior a 1,3 biliões de euros (1,6 triliões de dólares).

Ler mais
Relacionadas

Microsoft valoriza 65 mil milhões após confirmar planos de compra do Tik Tok nos EUA

A Microsoft revelou em comunicado no domingo que pretende concluir as discussões com a ByteDance, empresa que controla a plataforma de vídeos, até ao dia 15 de setembro.

Wall Street abre semana em terreno positivo com negociações da Microsoft

As bolsas dos Estados Unidos abriram em alta, com a industrial Dow Jones abriu a valorizar 0,43%, o financeiro S&P 500 subiu 0,46%, enquanto a tecnológica Nasdaq valorizou 1,09%.

Trump dá 45 dias à Microsoft para fechar aquisição da rede social chinesa Tik Tok

Microsoft anunciou no domingo que vai prosseguir diálogo com a dona do Tik Tok, depois de o presidente executivo da tecnológica, Satya Nadella, ter reunido com Trump. Na sexta-feira, o presidente dos EUA tinha anunciado a intenção de proibir o uso do Tik Tok nos Estados Unidos.
Recomendadas

Setor da cortiça cresceu 35% em volume de negócios entre 2014 e 2018

Responsável por 50% da produção mundial e 60% das exportações de cortiça em todo o mundo, o setor cresce em vários indicadores no mercado português.

“Caixa opera com margens de 1% a 2% contra 15% do gel desinfetante”, diz Paulo Macedo

O presidente executivo da Caixa Geral de Depósitos considera que o banco público está apto para financiar pequenas, médias ou grande empresas. “Ao longo dos últimos anos, a Caixa e os seus trabalhadores trabalharam para dobrar o nosso Bojador”, afirmou.

Montepio Crédito expande crédito ao consumo na plataforma digital

O Montepio Crédito reforçou a sua aposta no digital e lançou o crédito para aquisição de material escolar e informático na sua plataforma mycreditech, numa altura em que as aulas por meios digitais ganharam relevância.
Comentários