Todos os dias cinco portugueses tornam-se britânicos

Entre janeiro de 2017 e setembro de 2018, 2.655 emigrantes no Reino Unido obtiveram cidadania britânica, mais do que o total de autorizações dadas nos cinco anos anteriores.

Peter Nicholls/REUTERS

Diariamente, em média, cinco emigrantes portugueses tornam-se britânicos. Só entre janeiro de 2017 e setembro de 2018, 2.655 emigrantes no Reino Unido obtiveram cidadania britânica, mais do que o total de autorizações dadas nos cinco anos anteriores, revela este sábado o “Expresso”.

Segundo os dados do Home Office, a que o semanário do grupo Impresa teve acesso, contabilizaram-se 1.234 registos de dupla nacionalidade em 2017 (em 2016 tinham sido 672 e no ano anterior apenas 422).

“A naturalização é a única forma que os emigrantes portugueses têm de ficar protegidos. Muitos dos que não cumprirem os requisitos acabarão por regressar a Portugal ou irão emigrar para outros destinos. A Irlanda poderá ser uma hipótese, por ter a mesma língua e porque é ali ao lado”, afirmou ao jornal Rui Pena Pires, diretor do Observatório da Emigração.

Os emigrantes portugueses que residam há, pelo menos, cinco anos no Reino Unido e que pretendam tornar-se britânicos são obrigados a realizar uma prova de língua e cultura inglesa e a pagar até 3.000 euros.

Atualmente deverão existir 400 mil portugueses a viver no Reino Unido, sendo que a maioria (56%) são licenciados. Já o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras registou 22.431 cidadãos do Reino Unido a morar em Portugal em 2017.

Relacionadas

Brexit: Europeus perdem direito de passar à frente na fila de imigrantes

Uma nova política britânica de imigração vai retirar aos cidadãos europeus, incluindo portugueses, o direito de “passar à frente na fila” de imigrantes australianos ou indianos, confirmou hoje a primeira-ministra, Theresa May.

Brexit: Dispara número de britânicos com outra nacionalidade da UE

O número de britânicos que obteve a nacionalidade de outro país da União Europeia (UE) tem disparado desde o referendo que ditou a saída do Reino Unido do espaço comunitário, noticia hoje a BBC.
Recomendadas

Portugal terá a ganhar com acordo tributário global, diz ministro das Finanças

João Leão ressalva, contudo, ser “prematuro retirar consequências diretas para Portugal” deste compromisso, uma vez que este dependerá da forma como a criação de uma taxa mínima global sobre os lucros daquelas empresas e a atribuição de direitos fiscais aos países onde as empresas operam e não apenas onde estão sedeadas se irão articular e também de questões que precisam ainda de ser consensualizadas.

Detalhes são importantes na continuação de acordo tributário do G7, dizem especialistas

No passado fim de semana, os países que integram o G7 alcançaram um acordo sobre a reforma do sistema tributário mundial que prevê uma taxa de imposto mínima de 15% sobre as empresas e que as multinacionais paguem impostos nos países onde obtêm receitas e lucram e não apenas naquele (s) onde estão sedeadas.

PremiumPatrões e sindicatos: resposta à crise não foi suficiente

Desde a burocracia excessiva no acesso aos apoios à insuficiência das medidas para proteger rendimentos e empresas, tanto patrões, como sindicatos apontam falhas no primeiro ano de João Leão à frente das Finanças portuguesas.
Comentários