Tornar-se ‘business angel’: como, quando e porquê?

Um business angel é um investidor privado que investe no capital de empresas com potencial de crescimento, como startups, e contribui com a sua experiência e rede de contactos para a valorização do negócio. Descubra mais sobre o tema neste artigo.

Já pensou que tornar-se num business angel pode ser uma das ações que um investidor com ativos elevados pode fazer? Suportar empreendedores talentosos pode trazer retornos financeiros substanciais.

Mas, para ter estes retornos, deve conseguir fazer o “check” a algumas premissas básicas: legalmente, deve ter a riqueza necessária para ser um investidor creditado. A nível pessoal, deve possuir um portfólio de investimentos abrangente para cobrir eventuais perdas e ter bons hábitos de investimento. Porém, atente que este risco elevado a que um business angel está exposto não é para todos. Se está a começar, deve conhecer algumas regras de ouro de investimento para iniciantes.

Em primeiro lugar, tenha em consideração o retorno financeiro potencial. Ora, isto significa que os “anjos” devem iniciar com uma estratégia de investimento múltiplo para minimizar riscos e aumentar as hipóteses de bons retornos. Os investidores devem igualmente educar-se com bons processos de investimentos através de eventos, leituras e contactos com investidores mais experientes.

 

Vantagens de se Tornar num Business Angel

Desta forma, o investimento de um business angel deve ser diversificado ao ponto de obter uma variedade de investimentos no portfólio. Se o retorno é o “isco” para qualquer tipo de investimento, investir em startups pode trazer todo um conjunto de benefícios adicionais, muitas vezes difíceis de medir:

  • Conhecer pessoas interessantes com ideias inovadoras – os empreendedores de topo têm de ser bons comunicadores, tendo de conseguir que praticamente toda a gente compreenda facilmente os seus modelos de negócio, sejam eles sobre tecnologia ou inovação médica. Para além disso, consegue sentir-se a tremenda paixão que nutrem pela empresa que criaram. Através do investimento, consegue conhecer outros investidores, muitos deles com backgrounds totalmente diferente do seu, mas com ideias e princípios convergentes que constroem elos e amizades duradouras.
  • Investir naquilo que lhe interessa – uma vez que um business angel decide em que empresas vai investir, pode alocar o próprio dinheiro nos tipos de negócios que são mais importantes para ele. Estes podem constituir setores industriais onde já tem alguma experiência, projetos da universidade onde se licenciou ou mesmo em zonas às quais está ligado de alguma forma.
  • Aprender novas capacidades – o investimento de business angels oferece algo novo para todas as partes envolvidas. Aprender coisas novas, como termos de negociação, melhores formas de ensinar empreendedores ou como ser um bom administrador pode até ser divertido. Algumas vezes, aprender estas capacidades pode levar a que os investidores sigam novos rumos. Por exemplo, uma das razões pelas quais pode ser atrativo para as mulheres serem business angels é porque representa uma forma rápida de aprenderem a ter um cargo de administração, terem experiência num conselho executivo para depois pôr em prática algumas das aprendizagens e serem melhores candidatas a conselhos de administração de corporações multinacionais.

 

Ser Business Angel em Portugal

Atualmente, o estatuto de business angel confere a possibilidade ao investidor a aceder a fundos comunitários que ajudam os seus investimentos, para além de poder usufruir de alguns benefícios fiscais no futuro.

Em Portugal, o registo pode ser feito na Comissão do Mercado de Valores Imobiliários (CMVM) ou, como alternativa, pode contactar uma associação de business angels, pedindo a sua integração enquanto associado. Esta ação possibilita-o ter, não só a acreditação, como apoio nas decisões de investimento e em processos burocráticos para a obtenção de apoios e benefícios.

Algumas das associações de business angels em Portugal, são:

Continue a aprender o máximo que conseguir sobre como os business angels investem antes de mergulhar numa aventura destas.

Ler mais
Relacionadas

Onde investir? Veja as diferenças entre cinco plataformas de trading

“Em grande parte das plataformas online o cliente tem acesso, seja por email ou por telefone, à sala de mercados para poder discutir com um trader sobre a direção estratégica do investimento ou mesmo executar ordens diretamente”, referem os analistas da plataforma “ComparaJá.pt”.

Estas aplicações de bancos ajudam-no a manter as finanças em ordem

Numa altura em que a digitalização ganha um peso cada vez maior nas nossas vidas, os bancos têm vindo a adaptar-se a esta nova realidade com o lançamento de apps que permitem que os clientes acedam e controlem as suas contas bancárias através do smartphone. Conheça 5 soluções neste artigo.

É um cliente de risco para o seu banco? Faça aqui a simulação

Já se questionou porque é que as instituições financeiras lhe pedem comprovativos de IRS e recibos de vencimento quando solicita um financiamento? A verdade é que é através destes documentos que os bancos conseguem calcular a sua taxa de esforço e, assim, decidir se concedem, ou não, o crédito em questão.
Recomendadas

Qual é a diferença entre marketplace e e-commerce?

Nas suas compras virtuais procure o selo CONFIO que é um certificado atribuído a plataformas que cumprem as melhores práticas do mercado digital e da utilização da Internet e tenha sempre em atenção à sua cibersegurança, questione e procure informação em caso de dúvidas.

Saiba como funcionam os contadores inteligentes de eletricidade

Certamente já ouviu falar nos contadores inteligentes de eletricidade e nas suas funcionalidades. Mas de que se trata Basicamente são aparelhos que fazem medições digitais relacionados com redes inteligentes e que procedem ao envio automático das leituras.

Governo simplifica emissão de comprovativos do exercício de atividade profissional

A medida Simplex permite a emissão dos certificados necessários para quem pretenda ir trabalhar para um dos 27 Estados-membros da União Europeia, através de uma Mera Comunicação Prévia (MCP), no portal ePortugal (Balcão do Empreendedor).
Comentários