‘Traga o seu próprio aparelho’. Deutsche Bank tira telemóveis empresariais a mil funcionários espanhóis

O banco informa que esta medida é voluntária e está em linha com iniciativas semelhantes em outras empresas nos últimos anos. A intenção é que os colaboradores passem a utilizar os seus aparelhos pessoais para fazer face aos custos da entidade bancária.

O Deutsche Bank vai retirar os telemóveis e tablets empresariais a mil funcionários nas suas filiais espanholas. Esta é mais uma medida que pretende fazer face aos custos da entidade bancária e que se junta ao já anunciado despedimento de até 30 pessoas e o fecho de uma dezena de filiais, de forma a aumentar a eficiência e lucros do grupo, conta o jornal “El Economista” esta quinta-feira, 10 de junho.

O projeto denominado ‘Traga o seu próprio aparelho’ não vai afetar os telefones comerciais que não sejam inteligentes. No caso dos tablets, o banco vai entregar aos funcionários um laptop com ligação wi-fi, mas serão os próprios funcionários que vão ter os custos, já que a entidade não vai fornecer dados móveis de internet, dado que a maioria dos escritórios do Deutsche Bank não possui rede wi-fi.

A intenção é que os colaboradores passem a utilizar os seus aparelhos pessoais, compensando essas despesas com um aumento de 13 euros na sua remuneração mensal. Esta medida vai afetar principalmente os diretores e gestores e deverá ter início nos meses de verão.

O Deutsche Bank já informou os trabalhadores que em breve vão ter que devolver os telemóveis e tablets da empresa para que possa ser instalado um cartão SIM no qual poderão gravar conversas com os clientes, bem como o sistema de controlo de dados.

O banco informa que esta medida é voluntária e está em linha com iniciativas semelhantes levadas a cabo em outras empresas nos últimos anos.

Em 2020, a filial espanhola do grupo alemão perdeu quase cinco milhões de euros devido a provisões para fazer face à pandemia. O banco tinha pouco mais de 2.200 funcionários e uma rede de 168 agências, antes da reestruturação lançada em maio.

Recomendadas

Novo Banco: PSD contraria Mourinho Félix quanto à retransmissão de obrigações de 2015

Acusando o antigo governante socialista de dizer “coisas que contradizem os factos”, Hugo Carneiro contrariou a versão de Mourinho Félix quanto à subida dos juros após a retransmissão de obrigações em 2015, dizendo que esta aconteceu sim após a apresentação do Orçamento do Estado de 2016.

Resolução do BES seria sempre preferível à liquidação, defende Vítor Constâncio

Vítor Constâncio reiterou que “naquela circunstância, naquele momento, com aqueles dados finais do final de julho, não havia outra alternativa melhor do que encaminhar-se para um processo de resolução”.

António Horta-Osório condecorado pela rainha Isabel II com título de ‘Sir’

O antigo presidente-executivo do banco Lloyds foi reconhecido pela monarca pelo “serviço importante para os contribuintes do Reino Unido nos últimos 10 anos, liderando o Lloyds Banking Group da beira do colapso de volta à lucratividade”. 
Comentários