PremiumTranquilidade com comprador escolhido até junho

A Apollo tem estado a receber propostas não-vinculativas para a Seguradoras Unidas. Em maio, escolhe três finalistas para a fase final.

A Apollo Global Management já está a receber propostas não vinculativas para a Seguradoras Unidas, que engloba a Tranquilidade, a Açoreana e a Logos. A lista de candidatos são todos players internacionais, sabe o Jornal Económico. Alguns deles já foram avançados pelo jornal espanhol ‘Cinco Días’. Trata-se da Mapfre, da Ageas, da Generali, da Zurich e da Allianz. Durante este mês, decorrerá a fase das propostas non-binding (propostas não vinculativas).  Para realizar a venda, o fundo norte-americano contratou a espanhola Arcano Partners.

Entre maio e junho, serão analisadas as propostas e será selecionada uma short-list de três companhias para apresentação de propostas vinculativas. O objetivo do fundo Apollo é ter um vendedor escolhido para um contrato de promessa de compra e venda até ao fim de junho. Contatada, a fonte oficial da Tranquilidade não comenta. Segundo o calendário indicativo revelado ao Jornal Económico, a finalidade dos norte-americanos é ter o closing da venda, já depois das devidas autorizações regulatórias, até ao fim do ano.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Recomendadas

Moody’s atira rating do BPI para o nível “lixo”

A instituição destacou que “os depósitos de clientes representam a principal fonte de ‘funding’ [financiamento] do banco BPI, fonte que recentemente foi complementada com a emissão de obrigações hipotecárias que têm uma notação de Aa3”.

Endividamento da economia nacional bate recorde: 727 mil milhões de euros

Há quatro meses consecutivos que o endividamento da economia portuguesa aumenta. Apesar do setor privado representar a maior fatia no endividamento, verificou-se um crescimento do endividamento do setor público.

Sindicatos entregam novas propostas de aumentos salariais ao BCP

Acordo salarial para dois anos ou, em alternativa, um aumento mínimo fixo são as propostas apresentadas pelos Sindicatos dos Bancários do Sul e Ilhas (SBSI) e do Centro (SBC) à administração do banco que insiste não ser possível ir além de aumentos salariais de 0,6%.
Comentários