Tribunal de Contas visou mais de 1.500 atos e contratos no ano passado

Instituição presidida por José Tavares recusou o visto a 26 contratos no ano passado. Do total dos processos visados, 484 foram acompanhados de recomendações. 

O Tribunal de Contas (TdC) visou mais de 1.500 atos e contratos no ano passado, tendo recusado o visto a 26 contratos, representando estes apenas 1,6% dos processos objeto de fiscalização prévia, divulgou a instituição presidida por José Tavares esta segunda-feira.

Numa nota sobre a função preventiva e pedagógica da fiscalização prévia, o TdC revela ainda que dos processos visados, 484 foram acompanhados de recomendações.

Dá ainda nota que no âmbito dos processos analisados, o número de pedidos de esclarecimentos ou de elementos complementares ascendeu a 2.415, “o que permitiu, num número significativo de casos, suprir as ilegalidades e irregularidades detetadas, conduzindo também, em algumas situações, à redução de encargos assumidos pelas respetivas entidades públicas”.

“Esta é uma função preventiva e pedagógica do Tribunal de Contas que permite melhorar a atividade pública, em especial no âmbito da contratação pública”, frisa o TdC na nota publicada.

Recomendadas

Vistos ‘gold’: Investimento captado em abril sobe 82,8% para 51,2 milhões de euros

Por países, foram concedidos 35 vistos ‘dourados’ à China, 12 ao Brasil, nove aos Estados Unidos, seis à Índia e cinco à Rússia.

Regiões ultraperiféricas da União Europeia em debate na segunda-feira

Na agenda da reunião, que será presidida pela secretária de Estado dos Assuntos Europeus, Ana Paula Zacarias, está uma apresentação, seguida de debate, sobre “as regiões ultraperiféricas da UE (RUP) como laboratórios para o futuro”.

PremiumExposição ao turismo ainda é um risco, avisa Bruxelas, mas sector está esperançoso

Apesar de reconhecer um impacto mais limitado do segundo confinamento no sector, a Comissão Europeia identifica a incerteza no turismo internacional como um risco para o crescimento em 2021.
Comentários