Trump acusa Powell e a Fed de não terem “coragem, sentido ou visão”

O presidente norte-americano tem criticado o banco central, dizendo que a lentidão em cortar as taxas de juro está a prejudicar economia na comércio internacional.

A Reserva Federal reduziu taxa de juro diretora em 25 pontos base esta quarta-feira, pela segunda vez este ano, mas a medida foi insuficiente para Donald Trump, que tem pressionado o banco central norte-americano liderado por Jerome Powell a acelerar os cortes no custo do financiamento na maior economia do mundo.

“Jay Powell e a Reserva Federal falham de novo. Nenhuma ‘coragem’, sentido, visão! Um péssimo comunicador!”, comentou o presidente no Twitter, momentos após a Fed ter anunciado o corte da federal funds rate para um intervalo de 1,75% a 2%.

Relacionadas

Reserva Federal corta taxas de juro em 25 pontos base para 1,75%-2%

O banco central liderado por Jerome Powell repetiu a dose, após em julho ter feito o primeiro corte na ‘federal funds rate’ em mais de uma década.

“Estímulo!”: Trump pede à Fed um grande corte nas taxas de juro

Reserva Federal norte-americana poderá anunciar esta quarta-feira novo corte na taxa de juros directora, depois da descida de 25 pontos base em julho. Presidente norte-americano aumenta a pressão sobre Powell.

Trump elogia “rapidez” do BCE e aumenta pressão sobre a Reserva Federal

O presidente norte-americano afirmou, no Twitter, que o BCE “agiu de forma rápida” ao cortar a taxa em 10 pontos base. “Eles estão a tentar, e a conseguir, depreciar o euro face a dólar MUITO forte, penalizando as exportações dos EUA… e a Fed continua sentada, e sentada e sentada”.
Recomendadas

CTT, Sonae Capital, Mota-Engil, Galp e Semapa lideram subida da bolsa de Lisboa

A bolsa de Lisboa fechou em alta impulsionada, sobretudo, pelas ações dos CTT e Semapa. Europa fechou no verde. O índice espanhol IBEX acabou por divergir do otimismo europeu depois do pré acordo assinado entre o PSOE e o Unidos Podemos

Tobias C. Pross é o novo CEO da Allianz Global Investors

Tobias C. Pross era até então diretor global de distribuição e trabalha há mais de 20 anos no grupo. Deborah Zurkow sobe a diretora global de investimentos, cargo até então exercido também por Andreas Utermann.

Abanca vai ter carteira de investimentos apenas focada em responsabilidade social a partir de 2020

“Estamos a montar um índice global, tem uma dispersão geográfica considerável, mas que tem esta responsabilidade social”, adiantou Hugo Freitas, responsável pela área de produtos de investimento do Abanca.
Comentários