Trump anuncia fim da cooperação com a Organização Mundial de Saúde

Nas últimas semanas, as tensões entre os EUA e a OMS têm escalado devido à alegada falta de transparência da organização face à gestão do surto do novo coronavirus.

Donald Trump
  • A relação entre os Estados Unidos e a Organização Mundial de Saúde (OMS) chegou ao fim. O anuncio foi feito esta tarde, por Donald Trump durante uma conferência de imprensa convocada para abordar a relação do país com China e os conflitos em Hong Kong. Trump fez um discurso curto e saiu sem aceitar perguntas dos jornalistas.

“Vamos terminar a nossa relação com a Organização Mundial da Saúde e redireccionar estes fundos para outras necessidades de saúde pública”, anunciou perante os jornalistas. “O mundo precisa de respostas da China sobre o vírus. Porque é que a China fechou pessoas as infectadas em Wuhan – não as deixando viajar para outros locais da China –, mas permitiram que estas pessoas viajassem livremente pelo mundo, na Europa e nos Estados Unidos?”, questionou o pesidente norte-americano esta sexta-feira.

O presidente aproveitou o momento para acusar a OMS de ser controlada pela China e formalmente anunciar o fim do financiamento à organização por parte dos EUA. O país contribui habitualmente com verbas entre 364 e 455 milhões de euros por ano, um valor que, segundo Trump, é muito superior aos cerca de 36 milhões de euros que a China envia para a OMS.

Na mesma conferência de imprensa, o presidente norte-americano fez referência aos tumultos em Hong Kong e anunciou novas sanções contra a China depois de, nesta quinta-feira, o Congresso Nacional do Povo do país ter aprovado  uma nova lei de segurança nacional sobre a região autónoma que visa apertar o controlo naquele território, restringindo a atividade da oposição para conter novos episódios de confrontos dos ativistas pela democracia.

“As nossas medidas serão robustas e significativas”, anunciou o presidente, dias depois do secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, ter notificado o Congresso de que a Administração Trump já não considera Hong Kong um território autónomo da China continental.

Relacionadas

EUA pedem investigação “imparcial, independente e abrangente” sobre a fonte do novo coronavírus à OMS

O representante do Ministério da Saúde norte-americano explicou ainda que essa investigação vai garantir a compreensão completa da “fonte, linha do tempo dos eventos e o processo de tomada de decisão da resposta da OMS à pandemia do Covid-19”.

Trump ameaça terminar indefinidamente contribuição para OMS e sair da organização

No dia 14 de abril, Trump suspendeu a contribuição do país à OMS, anunciando que iria conduzir um estudo “para examinar o papel da OMS na má gestão e ocultação da disseminação do novo coronavírus”.
Recomendadas

Canadá promete retaliar contra novas tarifas norte-americanas

Se os Estados Unidos voltarem a impor tarifas aos produtos canadianos com base no alumínio, como fizeram em 2018, o Canadá responderá aplicando tarifas retaliatórias.

Facebook remove rede pró-Trump baseada na Roménia

O Facebook revelou que removeu recentemente uma pequena rede de contas a operar a partir da Roménia que promovia a campanha de reeleição do presidente Donald Trump.

Estado de Nova Iorque vai processar associação que promove as armas pessoais

A poderosa NRA, National Rifle Association, vai ser processada por corrupção e desvio de fundos para interesses pessoais. Donald Trump já veio defender a organização, que teve em Barack Obama um dos seus maiores inimigos.
Comentários