Trump diz que teve uma reunião “muito boa e cordial” com Powell

Donald Trump diz que “foi tudo discutido, incluindo taxas de juro, taxas negativas, baixa inflação, ‘quantitative easing’, a força do dólar e os seus efeitos na manufatura, comércio com a China, União Europeia e outros” na reunião com o responsável pela política monetária norte-americana.

Donald Trump não tem poupado críticas a Jerome Powell à frente da Reserva Federal norte-americana, pressionando para cortes nas taxas de juro, mas após o encontro desta segunda-feira classificou a reunião entre ambos como “muito boa e cordial”.

“Terminei uma reunião muito boa e cordial na Casa Branca com Jay Powell da Reserva Federal”, escreveu o presidente norte-americano, no Twitter. “Foi tudo discutido, incluindo taxas de juro, taxas negativas, baixa inflação, quantitative easing, a força do dólar e os seus efeitos na manufatura, comércio com a China, União Europeia e outros”, acrescentou.

Também a Fed informou que o chairman da instituição, Jerome Powell esteve reunido, na Casa Branca. “Os comentários do chairman Powell foram consistentes com os que fez nas audiências no Congresso na semana passada. Não discutiu as suas expectativas em relação à política monetária, exceto para reforçar que a percurso dessa política irá depender inteiramente na informação que recebe sobre o outlook da economia”, referiu o banco central, em comunicado.

“Além disso, Powell disse que, com os colegas do Federal Open Market Committee, irá ditar a política monetária, conforme a lei, para apoiar o emprego pleno e a estabilidade dos preços, e que irá tomar essas decisões apenas com base em análise cuidada, objetiva e não-política”, acrescentou.

Ler mais
Relacionadas

Powell foi à Casa Branca e disse a Trump que a política não entra nas decisões da Fed

Novo episódio na relação tensa entre o presidente dos Estados Unidos e o homem que nomeou para liderar o banco central do país. “O percurso da política monetária ira depender apenas de informação sobre as perspetivas de economia”, disse Jerome Powell a Donald Trump.
Recomendadas

Reino Unido. Recessão de 14% poderá aumentar dívida pública em 400 mil milhões de libras

Numa perspetiva mais pessimista, a recessão poderá variar entre os 12,4% e os 14,3%, enquanto que num cenário mais otimista a queda poderá situar-se nos 10,6% e a dívida em 263 mil milhões de libras.

Estudo: 5,4 milhões de americanos perderam o seguro de saúde entre fevereiro e maio

O estudo da defesa do consumidor das famílias norte-americanas indica que o aumento estimado de desempregados sem seguro durante este período foi superior em quase 40% do que o aumento anterior, que ocorreu durante a recessão de 2008 e 2009.

Comércio entre países lusófonos e a China cai 12% nos primeiros cinco meses do ano

O Brasil continua a ser de longe o país lusófono com o maior volume de trocas comerciais com a China, garantindo mais de 80% dos bens transacionados, seguindo-se Angola, Portugal, Moçambique, Timor-Leste, Cabo Verde, Guiné Bissau e São Tomé e Príncipe.
Comentários