Trump nomeia William Barr para substituir Jeff Sessions como procurador-geral

Donald Trump aponta o dedo e nomeia o antigo procurador-geral de George W. Bush para ocupar o mesmo cargo, à frente do seu Departamento da Justiça.

Scott Applewhite

O Presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou que irá nomear William Barr, que já liderou o Departamento da Justiça do ex-Presidente George W. Bush, para o cargo de procurador-geral dos Estados Unidos.

O anúncio foi feito aos jornalistas esta sexta-feira, e confirmado depois através do Twitter. Trump garantiu que Barr foi a sua “primeira escolha desde o dia 1” e que ele é não apenas “um dos juristas mais respeitados do país”, mas também “um homem incrível, uma pessoa incrível, um homem brilhante”.

O novo procurador-geral tem agora nas suas mãos a responsabilidade da investigação sobre a potencial ingerência da Rússia na campanha presidencial de Trump, em 2016. Essa é vista como um ponto determinante no seu mandato.

Jeff Sessions, o antigo procurador geral, abandonou o cargo após um ano de ataques e críticas pessoais de Trump por ter aberto a porta à nomeação do procurador especial Robert Mueller, que tomou a seu cargo a investigação, tendo começado a analisar se a intimidação de Sessions seria parte de um plano mais abrangente de obstrução à Justiça.

Na declaração desta sexta-feira, o Presidente norte-americano confirmou ainda a nomeação de Heather Nauert, ex-jornalista da Fox News e atual porta-voz do Departamento de Estado, como nova embaixadora dos Estados Unidos na ONU.

As nomeações do Presidente têm agora de ser aprovadas pelo Senado, algo que, de acordo com fontes dos comités responsáveis ouvidos pelo ”Washington Post”, só deverá acontecer já no próximo ano, depois de os novos senadores tomarem posse a 3 de janeiro.

Ler mais
Recomendadas

Dados oficiais elevam para 207 número de mortos no Sri Lanka

A oitava e última explosão, até ao momento, teve lugar num complexo de vivendas na zona de Dermatagoda.

Oito explosões elevam para 187 o número de mortos no Sri Lanka

Após as oito explosões, o Governo decretou o Estado de Emergência e a polícia impôs o recolher obrigatório com efeito imediato perante o perigo de novos ataques.

Português entre os 156 mortos numa série de explosões no Sri Lanka

As explosões ocorreram “quase em simultâneo”, pelas 08:45 (03:15 em Portugal), de acordo com fontes policiais citadas por agências internacionais.
Comentários