Trump promete não construir torre se comprar a Gronelândia

“Prometo não fazer isto na Gronelândia”, afirma Trump no Twitter. A publicação do presidente sobre a compra da ilha dinamarquesa pode querer significar que Donald Trump quer avançar com a oferta irrealista. O Governo de Copenhaga já deixou bem claro que a Gronelândia não está à venda e que a ideia é “absurda”.

Depois de revelar que a compra da Gronelândia seria “um bom negócio imobiliário”, o presidente dos Estados Unidos da América, Donald Trump, levou a polémica até ao seu Twitter.

Com uma montagem fotográfica, Donald Trump colocou uma Trump Tower dourada junto a uma fotografia de várias casas na ilha dinamarquesa.

Resta saber se Trump estava a ser irónico ou se está a falar a sério, apesar de ser totalmente irrealista a sua intenção de comprar a ilha que pertence à Dinamarca, conforme o governo de Copenhaga já deixou bem claro.

A primeira-ministra da Dinamarca, Mette Frederiksen, assumiu que “a Gronelândia não está à venda” e que a ideia da compra é “absurda”.

O governo regional da Gronelândia também reagiu às notícias que davam conta que Donald Trump queria comprar a ilha, garantido que “não está à venda”

A última tentativa de compra da Gronelândia aconteceu em 1946, sob a alçada de Truman. Na altura, o 33º presidente dos EUA ofereceu 100 milhões de dólares em ouro (algo que hoje significa cerca de 90 milhões de euros). Foi divulgado que a iniciativa de Truman se devia ao uso militar e estratégico que a ilha oferecia.

Ler mais
Relacionadas

Gronelândia é “um grande negócio imobiliário” para Trump. Dinamarca diz que compra é “ideia absurda”

A última tentativa de compra da Gronelândia aconteceu em 1946 por Harry Truman. Apesar dos governantes da Dinamarca e da Gronelândia ressalvarem que a compra não vai acontecer, Trump sustentou que seria “um bom negócio imobiliário”

Trump quer comprar Gronelândia. “Deve ser piada do Dia das Mentiras fora de época”, afirma ex-primeiro-ministro da Dinamarca

A ideia de comprar o território foi ridicularizada por alguns conselheiros, mas levada mais a sério por outros na Casa Branca. De acordo com o “Wall Street Journal”, a ideia de aquisição da região nórdica já tem mais de um ano.
Recomendadas

Cerca de 7000 pessoas em fuga do Níger

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados refere que estas pessoas estão em fuga devido à insegurança e à violência gerada por um ataque à cidade de Chinégodar.

Líbia: Merkel diz que houve acordo para respeitar embargo das armas

A chanceler da Alemanha diz que o embargo será controlado de forma mais rigorosa do que antes.

“Racismo” e “preconceito”. Isabel dos Santos reage a investigação jornalística a nível mundial

Os Luanda Leaks têm 715 mil documentos, entre e-mails, contratos, auditorias, e contas que foram obtidas por uma plataforma de denunciantes em África (PPLAAF), que depois foi partilhada com a ICIJ.
Comentários