Turismo na região Centro cresceu 12,4% em novembro de 2019

No passado mês de novembro, registaram-se mais de 455 mil dormidas nesta região do país, mais 50 mil que no período homólogo de 2018. Os proveitos neste mês ascenderam a 21,7 milhões de euros.

Foto cedida

A atividade turística na região Centro de Portugal registou um crescimento muito acima da média nacional em novembro de 2019, tendo subido 12,4% face ao período homólogo do ano passado.

“Segundo os resultados preliminares da atividade turística nesse mês, publicados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), o aumento da procura pela região não dá sinais de abrandar. Pelo contrário, o Centro de Portugal é um destino cada vez mais preferencial para os turistas”, destaca um comunicado da organização.

Segundo esse documento, “o INE revela que, em novembro de 2019, o total de dormidas na região cresceu 12,4%, em comparação com novembro de 2018”.

“Uma subida notável, tendo em conta que, no mesmo período, as dormidas no país aumentaram em média 7,2%. Ou seja, a procura do Centro de Portugal subiu quase o dobro da média nacional. Além do Centro de Portugal, o aumento de dormidas em novembro foi também expressivo no Alentejo (14,1%) e inferior nas restantes regiões: Porto e Norte (11,2%), Açores (9,3%), Lisboa (7,9%), Algarve (7,8%) e, em particular, a Madeira, onde a procura diminuiu -6,3%”, destacam os responsáveis do Turismo do Centro.

O referido documento acrescenta que, “no total, contabilizaram-se 455.534 dormidas em novembro no Centro de Portugal, mais 50,4 mil do que no mesmo mês do ano anterior, que tinha registado 405.111 dormidas”, recordando que, em novembro de 2017, tinham-se verificado 368.111 dormidas e no mesmo mês de 2016 foram 294.148″ e resumindo que “a espiral de crescimento é evidente”.

“Esta subida foi motivada, em grande parte, pelos visitantes internos, oriundos de outras regiões do país. De facto, entre novembro de 2018 e novembro de 2019, as dormidas de visitantes nacionais aumentaram 16%, para 287.538 (tinham sido 247.880 em novembro de 2018). Comparativamente, a média nacional de crescimento de dormidas de visitantes internos foi de 4,2%”, assinala o comunicado em causa.

No entender dos responsáveis do turismo do Centro, a procura desta região por parte de cidadãos estrangeiros também continua a crescer de forma sustentada, embora a um ritmo inferior, tendo-se registado em novembro de 2019 um total de 167.996 dormidas de visitantes internacionais, mais 6,8% que em novembro de 2018.

“Considerando os dados acumulados do ano, no período janeiro-novembro de 2019, o Centro de Portugal apresenta uma subida de 4,7% nas dormidas, em comparação com o mesmo período de 2018”, salienta o referido comunicado.

“Os números hoje conhecidos comprovam que os portugueses estão rendidos aos encantos do Centro de Portugal. O crescimento da procura da região por parte de visitantes internos é uma realidade cada vez mais visível e importante, o que mostra que a estratégia de promoção que tem sido implementada é a mais correta”, sublinha Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal.

De acordo com este responsável, “os dados de novembro acentuam a convicção de que 2019 foi um ano particularmente positivo para a atividade turística na região e deixam antever que o ciclo de crescimento não dá sinais de abrandamento”.

O comunicado em causa acentua também que “os restantes indicadores registados pelo INE são também muito positivos para o Centro de Portugal”.

“É o caso do total de hóspedes, que entre os dois meses de novembro subiu de forma impressionante: 15,1%, para 277.666”, destaca o Turismo do Centro.

Para os responsávesta desta instituição, “o notável crescimento nas dormidas e nos hóspedes reflete-se, naturalmente, de forma muito positiva nas receitas”.

“Em novembro de 2019, registou-se um crescimento nos proveitos totais da atividade turística no Centro de Portugal, em comparação com novembro de 2018: os proveitos subiram 13,6% e ultrapassaram os 21,7 milhões de euros. Se analisarmos os meses de janeiro a novembro, há um crescimento de 6,5% nos proveitos totais. Dados muito satisfatórios para os empresários que investem no turismo da região”, conclui o referido comunicado.

Recorde-se que o Turismo Centro de Portugal é a entidade que estrutura e promove o turismo na Região Centro do país, constituindo-se como a maior e mais diversificada área turística nacional, abrangendo 100 municípios, a qual tem registado um intenso crescimento da procura interna e externa.

Segundo os responsáveis do Turismo do Centro, esta “é a região a escolher para quem pretende experiências diversificadas, pois concilia locais Património da Humanidade com a melhor costa de ‘surf’ da Europa, termas e ‘spas’ idílicos, locais de culto de importância mundial e as mais belas aldeias”.

Ler mais

Recomendadas

Açores em números. Economia regional representa 2% do PIB de Portugal

Uma casa neste arquipélago vale menos 146 euros por metro quadrado do que a média nacional. Só o município de Ponta Delgada tem poder de compra per capita superior à média do país. Estes e outros indicadores estatísticos neste retrato da região autónoma.

Banco central baixa previsão sobre queda da economia brasileira para 5%

As novas estimativas estão em linha com as projeções de agentes do mercado consultados semanalmente pelo Banco Central, que prevê uma retração económica de 5,05% no PIB brasileiro em 2020. O Brasil ainda recupera de uma grave recessão entre os anos de 2015 e 2016, período em que o PIB caiu sete pontos percentuais.

Wall Street aguenta, mas perdeu fôlego ao longo do dia

Os principais índices do outro lado do Atlântico estiveram a subir, mas no final do dia acabaram por ceder. Mesmo assim, dizem os analistas, os investidores continuam a confiar em novos estímulos à economia.
Comentários