Turistas do Airbnb contribuíram com mais de 500 milhões para restaurantes e cafés em Portugal

Estima-se que a nível global, os utilizadores da plataforma tenham gasto um total de 25 mil milhões de dólares (21 mil milhões de euros) em restaurantes e cafés. Os analistas esperam que os valores deste ano aumente para 30 mil milhões de dólares (27 mil milhões de euros).

O crescimento turístico de Portugal tem estado em foco durante os últimos anos. O país tem sido reconhecido pelos estrangeiros e é cada vez mais visitado por cidadãos de cada canto do mundo. Isso significa que com a existência de muitos locais de alojamento, há quem opte pelos apartamentos em vez de hotéis.

Em 2018, os viajantes que optaram por utilizar a plataforma Airbnb para visitar Portugal gastaram 513 milhões de euros em restaurantes e café, indicam os dados divulgados pela plataforma. Assim, este número integra Portugal como o décima país do mundo e o quinto da Europa com o maior nível de gastos por parte dos viajantes. Na Europa, por sua vez, Portugal situa-se atrás de França, Espanha, Itália e Reino Unido.

Estima-se que a nível global, os utilizadores da plataforma tenham gasto um total de 25 mil milhões de dólares (21 mil milhões de euros) em restaurantes e cafés. Os analistas da plataforma Airbnb esperam que este gasto supere os 30 mil milhões de dólares (27 mil milhões de euros) no presente ano.

Como visitar os países significa também explorar a gastronomia ou aprender receitas locais, “cerca de 89% dos anfitriões portugueses na plataforma afirmam recomendar restaurantes e cafés aos seus hóspedes”, de forma a ajudar os visitantes a contornar os locais mais populares mas também os que não se descobrem na internet.

Com a poupança entre o alojamento em hotéis e Airbnb, os hóspedes conseguem multiplicar os benefícios económicos dos destinos que visitam. “Em média, os visitantes que usam Airbnb dizem efetuar 42% dos seus gastos em férias nos bairros em que se alojam, o que ajuda a manter o impacto económico do turismo nas comunidades locais e a expandir os benefícios económicos do turismo fora das zonas turísticas tradicionais”, sustenta a plataforma.

Estima-se que os gastos em restaurantes e cafés dos viajantes que utilizam a plataforma na Europa tenham ascendido a 11 mil milhões de dólares, com foco em França, com 2,7 mil milhões de dólares, e no Reino Unido, com 1,3 mil milhões de dólares. Na América, por sua vez, estima-se que os viajantes tenham gasto 10,2 mil milhões de dólares em cafés e restaurantes, com 7,6 mil milhões nos EUA, 989 milhões do Canadá e 650 milhões no México.

Também na Ásia se verificaram gastos na ordem dos 2,4 mil milhões de dólares, com 750 milhões de dólares no Japão e 493 milhões de dólares na China. Por sua vez, os hóspedes na Austrália e Nova Zelândia gastaram aproximadamente 1,1 mil milhões de dólares, enquanto na África do Sul foram gastos 156 milhões de euros.

Ler mais
Recomendadas

EDP investiu 125 milhões de euros em políticas reduzidas em carbono em 2019

O CDP – Disclosure Insight Action revela que em 2019 as empresas europeias investiram cerca de 124 mil milhões de euros em medidas “verdes”. No entanto, o relatório estima que as empresas precisariam de duplicar a participação de baixo capital em carbono de 12% para 25% para ser consistente com a meta de descarbonização até 2050 da União Europeia.

Disney + chega à Europa a 24 de março com um desconto para subscrições de um ano

Para celebrar o lançamento oficial em território europeu, a Disney oferece um desconto de 10 euros, passando dos 69,99 euros, para os 59,99 euros.

WEBINAR: Uma conversa inadiável sobre Ecoliving. Coloque já as suas questões

No dia 2 de março estaremos em direto d’O Jornal Económico às 15h para uma conversa inadiável sobre Ecoliving. Este é um assunto que lhe suscita interesse mas tem algumas dúvidas? Não pode perder esta conversa!
Comentários