Turistas do Airbnb contribuíram com mais de 500 milhões para restaurantes e cafés em Portugal

Estima-se que a nível global, os utilizadores da plataforma tenham gasto um total de 25 mil milhões de dólares (21 mil milhões de euros) em restaurantes e cafés. Os analistas esperam que os valores deste ano aumente para 30 mil milhões de dólares (27 mil milhões de euros).

O crescimento turístico de Portugal tem estado em foco durante os últimos anos. O país tem sido reconhecido pelos estrangeiros e é cada vez mais visitado por cidadãos de cada canto do mundo. Isso significa que com a existência de muitos locais de alojamento, há quem opte pelos apartamentos em vez de hotéis.

Em 2018, os viajantes que optaram por utilizar a plataforma Airbnb para visitar Portugal gastaram 513 milhões de euros em restaurantes e café, indicam os dados divulgados pela plataforma. Assim, este número integra Portugal como o décima país do mundo e o quinto da Europa com o maior nível de gastos por parte dos viajantes. Na Europa, por sua vez, Portugal situa-se atrás de França, Espanha, Itália e Reino Unido.

Estima-se que a nível global, os utilizadores da plataforma tenham gasto um total de 25 mil milhões de dólares (21 mil milhões de euros) em restaurantes e cafés. Os analistas da plataforma Airbnb esperam que este gasto supere os 30 mil milhões de dólares (27 mil milhões de euros) no presente ano.

Como visitar os países significa também explorar a gastronomia ou aprender receitas locais, “cerca de 89% dos anfitriões portugueses na plataforma afirmam recomendar restaurantes e cafés aos seus hóspedes”, de forma a ajudar os visitantes a contornar os locais mais populares mas também os que não se descobrem na internet.

Com a poupança entre o alojamento em hotéis e Airbnb, os hóspedes conseguem multiplicar os benefícios económicos dos destinos que visitam. “Em média, os visitantes que usam Airbnb dizem efetuar 42% dos seus gastos em férias nos bairros em que se alojam, o que ajuda a manter o impacto económico do turismo nas comunidades locais e a expandir os benefícios económicos do turismo fora das zonas turísticas tradicionais”, sustenta a plataforma.

Estima-se que os gastos em restaurantes e cafés dos viajantes que utilizam a plataforma na Europa tenham ascendido a 11 mil milhões de dólares, com foco em França, com 2,7 mil milhões de dólares, e no Reino Unido, com 1,3 mil milhões de dólares. Na América, por sua vez, estima-se que os viajantes tenham gasto 10,2 mil milhões de dólares em cafés e restaurantes, com 7,6 mil milhões nos EUA, 989 milhões do Canadá e 650 milhões no México.

Também na Ásia se verificaram gastos na ordem dos 2,4 mil milhões de dólares, com 750 milhões de dólares no Japão e 493 milhões de dólares na China. Por sua vez, os hóspedes na Austrália e Nova Zelândia gastaram aproximadamente 1,1 mil milhões de dólares, enquanto na África do Sul foram gastos 156 milhões de euros.

Ler mais
Recomendadas

Linha gratuita da Anacom de apoio à migração da rede TDT arranca hoje

A partir desta sexta-feira, qualquer utilizador da TDT pode ligar gratuitamente para o 800 102 002 e tirar dúvidas sobre o processo de libertação da faixa dos 700 Mhz, para dar lugar à quinta geração móvel (5G).

Regras da EBA sobre divulgação de malparado para bancos pequenos entram em vigor a 31 de dezembro

“O Conselho de Administração do Banco de Portugal aprovou a Instrução n.º 20/2019 que introduz no quadro normativo nacional as Orientações da Autoridade Bancária Europeia (EBA) sobre a divulgação de exposições não produtivas e exposições reestruturadas por parte das instituições de crédito menos significativas”, anuncia o supervisor bancário nacional.

Turismo: Dormidas a norte continuam em alta. Madeira é a única região a recuar

Segundo o INE, o Algarve concentrou 33,8% das dormidas, seguindo-se a AM Lisboa (23,9%) e o Norte (14,9%), sublinhando ainda que, desde o início deste ano, são de realçar os acréscimos no Norte de 9,6%,  de 7,9% no Alentejo e na RA Açores de 6,5%.
Comentários