Turkish Airlines apresenta lucros no final do primeiro trimestre de 2021

Uma profunda alteração no sentido do aumento do transporte de carga e uma diminuição dos custos de operação permitiu ao grupo tornar-se uma das primeiras empresas de bandeira a reverter a crise de 2020.

A companhia aérea de bandeira nacional da Turquia, a Turkish Airlines, tornou uma das poucas grandes companhias aéreas a registar lucros positivos este ano, “já que as receitas do transporte de carga ajudaram a resistir a uma queda acentuada no número de passageiros causado pela pandemia de Covid-19”, informa a empresa em comunicado divulgado pela imprensa turca.

A Turkish Airlines registou um lucro líquido no primeiro trimestre deste ano da ordem dos 44 milhões de euros (438 milhões de libras turcas), revertendo assim as estimativas dos analistas, que esperavam um prejuízo de cerca de 35 milhões de euros. A transportadora registou prejuízos de quase 200 milhões de euros no mesmo período do ano passado.

“Neste momento difícil, a Turkish Airlines conseguiu encerrar o primeiro trimestre de 2021 com um lucro líquido de 438 milhões de libras turcas, apesar dos efeitos da crise causada pela Covid-19”, diz o comunicado oficial da transportadora. A receita total foi de quase 1,5 mil milhões de euros de janeiro a março, uma queda de 29% em relação ao ano anterior.

As receitas do transporte de carga aumentaram 77% com relação ao ano anterior, para 685 milhões de euros, enquanto as receitas de passageiros caíram 55%, para os 750 milhões. Além disso, diz ainda o comunicado, os custos operacionais diminuíram em quase 832 milhões de euros: menos 47% em custos de combustível, menos 38% de encargos salariais e menos 42% em marketing e operações relacionadas.

Entre janeiro a março deste ano, a Turkish Airlines transportou um total de 6,4 milhões de passageiros com taxas de ocupação da ordem dos 74% em voos domésticos e de 61% em voos internacionais.

“Como o processo de pandemia continua com efeitos devastadores na indústria global da aviação, este desempenho só pode ser descrito como ‘de louvor’”, disse o CEO da Turkish Airlines, Ilker Aycı, citado pelo comunicado. Este sucesso, sublinhou, resulta da combinação do “sentido do dever nacional da empresa, da capacidade profissional e da experiência na gestão de crises”. “Continuaremos a trabalhar com a mesma dedicação para deixar para trás estes dias sombrios”, disse.

A transportadora encerrou 2020 com prejuízos de mais de 557 milhões de euros, que comparavam com um lucro positivo de 452 milhões no final de 2019, antes de a pandemia interromper o transporte aéreo global e os países imporem restrições às viagens. De acordo com dados de fevereiro de 2021, divulgados pelo grupo, a Turkish Cargo tornou-se a quinta maior transportadora de carga aérea do mundo. Com um aumento da capacidade de 33% no primeiro trimestre de 2021, a transportadora aumentou a sua quota global para 4,7% durante 2020.

Ler mais
Recomendadas

De Amorim a Varandas: como o Sporting CP quebrou um jejum de 19 anos. Veja o “Jogo Económico”

Acompanhe o programa “Jogo Económico” na plataforma multimédia JE TV, através do site e das redes sociais do Jornal Económico.

Metro do Mondego vai abrir concurso público para aquisição de veículos para o Sistema de Mobilidade do Mondego

O investimento envolvido chega aos 58,6 milhões de euros e procura fornecer uma solução intermodal que se coadune com as necessidades de transporte urbano e suburbano daquela região.

Glintt vê resultado líquido crescer 25,8% com aumento de 5,1% no volume de negócios no 1º trimestre

A tecnológica destaca o aumento da eficiência operacional traduzido numa maior margem EBITDA no primeiro trimestre deste ano, bem como a manutenção da estrutura de capitais que permite uma autonomia financeira de 39,1%.
Comentários