Twitter vê receita aumentar, mas lucros caem no terceiro período

A plataforma reportou um crescimento abaixo do esperado de utilizadores ativos, mas os seus executivos mostram-se confiantes. “Estamos a ajudar os nossos utilizadores a encontrar fontes fidedignas de informação”, sublinho o presidente executivo da empresa. A cotação em bolsa está a sofrer com os resultados, isto depois dos ganhos que antecederam a divulgação.

Brendan McDermid/Reuters

O Twitter reportou um aumento de 14% nas receitas da empresa, que atingiram os 936 milhões de dólares (801 milhões de euros) no terceiro trimestre do ano de 2020. No entanto, o lucro da tecnológica caiu de 36,5 milhões de dólares (31,2 milhões de euros) para 28,7 milhões de dólares (24,6 milhões de euros), de acordo com o relatório conhecido esta quinta-feira.

O número de utilizadores diários ativos da plataforma registou o aumento mais pequeno desde que a empresa começou a reportar o indicador. O indicador cifra-se agora nos 187 milhões de utilizadores diários.

O grosso das receitas da empresa do pássaro azul provêm de publicidade, cujo contributo foi de 808 milhões de dólares (692 milhões de euros), mais 15% do que no período anterior.

As receitas vindas de fora dos EUA cresceram 18% para os 424 milhões de dólares (363 milhões de euros), mas o mercado americano continua a ser o com maior expressão, ao registar 513 milhões de dólares (439 milhões de euros). Ainda assim, o crescimento no país de origem da plataforma foi de 10%, inferior ao do resto do mundo.

As ações da empresa ressentiram-se com o anúncio dos resultados, estando a cair 11,41% na transação após o fecho. Este ano, o Twitter valorizou já mais de 60%, sendo uma das principais empresas tecnológicas do índice norte-americano.

Recomendadas

EDP conclui venda à Total de duas centrais a gás e carteira comercial em Espanha

A EDP concluiu esta terça-feira a venda de um portefólio de ativos térmicos e clientes de comercialização de energia em Espanha à Total por um enterprise value de 480 milhões de euros.
Debenhams

Mais de dois séculos depois, retalhista britânica Debenhams fecha atividade

A cadeia retalhista britânica Debenhams vai encerrar todas as lojas no Reino Unido depois de 242 anos de atividade porque não se encontrou um comprador, pondo em risco 12 mil postos de trabalho.

Visitas ao site do JE disparam em novembro, com subida de 33% para 5,8 milhões

O número de utilizadores do site do Jornal Económico aumentou 30% em novembro, face a outubro, para um total de 2,7 milhões. Acessos móveis representaram 79% do total. Plataforma multimédia JE TV tem cada vez mais telespectadores. Obrigado pela sua preferência!
Comentários