Último estudo científico de Stephen Hawking já foi publicado

O artigo foi concluído por colegas das universidades de Cambridge e Harvard e centra-se no paradoxo da informação dos buracos negros.

O cientista britânico Stephen Hawking faleceu no passado mês de março e deixou incompleto um artigo sobre o paradoxo da informação dos buracos negros. O trabalho foi agora finalizado por físicos que acompanharam o cientista e foi publicado para consulta, avança o “The Guardian” esta sexta feira, 12 de outubro.

O artigo centra-se na teoria de física chamada “Paradoxo da Informação” que procura explicar o que acontece a um objeto consumido por um buraco negro. O cientista defende que os objetos quentes perdem o calor no espaço, sendo o destino dos buracos negros evaporar e desaparecer. Isso cria um paradoxo, já que segundo as regras quânticas, a informação nunca é perdida. Stephen Hawking adicionou à equação a temperatura.

Esta teoria esteve presente na vida do cientista durante mais de 40 anos, um puzzle que havia sido iniciado por Albert Einstein, quando publicou em 1915 a ”Teoria da Relatividade”. Einstein previu que os buracos negros poderiam ser definidos por três caraterísticas: massa, carga e rotação.

Segundo explicou Malcom Perry, um dos colaboradores do estudo, à agência britânica, quando se atira um objeto num buraco negro, este tende a desaparecer, mas a equipa procurou no documento demonstrar como pelo menos parte da informação pode ser recuperada.haewking

Relacionadas

Stephen Hawking: Uma vida sempre sob o signo da Física

Stephen Hawking morreu esta quarta-feira, 14 de março, em Cambridge. O homem que nasceu no mesmo dia em que morreu Galileu Galilei desapareceu na data em que se celebravam os 139 anos do nascimento de Einstein.

O legado de Hawking

É preciso mudar mentalidades e formas de estar: na vida, nas empresas, na sociedade. É tempo de pensarmos nos outros, de desviarmos o olhar do telemóvel e de vermos o mundo.

“Estamos às portas de um novo mundo”. Quando Stephen Hawking falou ao mundo desde Portugal

O físico britânico cujo trabalho na área da relatividade e dos buracos negros marcou a ciência no século XX e XXI, morreu esta quarta-feira aos 76 anos. Recorde aqui a intervenção do famoso cientista na última edição da Web Summit, que se realizou em Portugal, em 2017. Um momento acompanhado pelo Jornal Económico.
Recomendadas

Canadá considera que explicações da Arábia Saudita sobre o jornalista saudita Khashoggi não são credíveis

“As explicações dadas até agora não são consistentes ou confiáveis”, disse a ministra dos Negócios Estrangeiros do Canadá, Chrystia Freeland.

Nicolás Maduro pede a Donald Trump para abrir fronteira a milhares de migrantes

O presidente da Venezuela pediu ao seu homólogo norte-americano que abra as fronteiras para receber os milhares de migrantes que estão na fronteira entre a Guatemala e o México, rumo aos Estados Unidos.

Israel ordena reabertura de entradas para Gaza

“A decisão segue a mitigação dos eventos violentos em Gaza no fim de semana e os esforços feitos pelo Hamas para conter os manifestantes”, informou o Ministério da Defesa israelita, em comunicado.
Comentários