União Europeia vai manter fronteiras fechadas para voos dos EUA

A União Europeia está a preparar uma lista de países considerados seguros para realizar viagens (em lazer ou negócios) de e para. Ao todo, serão 15 os Estados que constarão numa lista que ainda estará a ser fechada.

Os cidadãos que viajem a partir dos Estados Unidos vão continuar proibidos de poder voar para países da União Europeia (UE) por causa do crescente número de infetados em território norte-americano, pelo que os EUA não constam na “lista segura” de destinos para viagens em lazer ou negócios que a União Europeia deverá divulgar, ainda, esta terça-feira, de acordo com a Reuters, que cita três fontes diplomáticas.

Além dos Estados Unidos, países como Brasil e Rússia, onde surto epidemiológico do novo coronavírus tem-se agravado, ficarão fora da denominada “lista segura”.

A União Europeia está a preparar uma lista de países considerados seguros para realizar viagens (em lazer ou negócios) de e para. Ao todo serão 15 os Estados que constarão numa lista que ainda estará a ser fechada. Mas, segundo a Reuters, vão constar Argélia, Austrália, Canadá, Geórgia, Japão, Montenegro, Marrocos, Nova Zelândia, Ruanda, Sérvia, Coreia do Sul, Tailândia, Tunísia e Uruguai.

A China também deverá ser incluída na referida lista, provisoriamente. A agência noticiosa britânica indica, contudo, que as viagens de e para a China só serão possíveis se as autoridades daquele país também permitirem a entrada de cidadãos da União Europeia.

A criação desta “lista segura” de países pretende ser um estímulo à indústria da aviação comercial e ao turismo da União Europeia. A lista será idêntica a uma recomendação aos países da União Europeia.

A aprovação da lista pela UE dependerá de uma “maioria qualificada” dos Estados-membros.

Ler mais
Recomendadas

EDP: Despacho de juiz alude a troca de favores entre Mexia e Manuel Pinho

Segundo o MP, foi também acordado, que da parte do ministro haveria a concessão de benefícios indevidos à EDP, através do exercício das suas funções públicas, tendo como contrapartida o apoio da EDP à sua carreira profissional e académica quando saísse do Governo.

OMS admite transmissão do vírus pelo ar e pede que se evitem espaços fechados

Um grupo de mais de 200 cientistas já tinha alertado para essa possibilidade, uma carta aberta dirigida à Organização Mundial de Saúde.

EDP interveio em avaliações do Credit Suisse e Caixa BI às barragens, diz Tribunal

O Tribunal apontou para provas que indiciam que o Crédit Suisse entregou a Rui Cartaxo um “‘memorandum’ relativo à avaliação da extensão do domínio hídrico, o qual foi apreendido nas buscas à sede da EDP” e que isso alegadamente demonstra que foi a elétrica que “orientou o Crédit Suisse na avaliação do domínio hídrico”.
Comentários