PremiumUniversidades reabrem com aulas práticas e investigação

Atividade presencial é feita de máscara e viseira. Em alguns casos, há medição da temperatura. Ensino a distância será norma até final do ano letivo.

escola negocios

O termómetro marca 35 graus Celsius no momento em que apita. Significa que não há febre. Pode avançar! É assim desde esta segunda-feira no campus de Salazares: ninguém entra no ISAG – European Business School sem medir a temperatura. Da mesma forma, nenhum aluno, professor ou funcionário passa a portaria sem máscara, viseira e mãos desinfetadas.

No chão saltam à vista as marcas a assinalar as distâncias e as portas das salas indicam a lotação permitida no interior. No Auditório, com capacidade para 134 pessoas, o número 29 tem agora a força de lei – mais pessoas não serão permitidas. Segurança máxima neste instituto privado da cidade Invicta. E as aulas?

“A anteceder a reabertura, foi feito um inquérito aos alunos e professores para tomarmos a decisão mais acertada, e a decisão foi dar a possibilidade das aulas práticas e laboratoriais serem lecionadas no regime presencial e à distância, e é assim que irão decorrer até ao final do ano letivo”, explica Elvira Vieira, diretora-geral do ISAG-EBS, ao Jornal Económico (JE). A aula de e-commerce, disciplina comum às licenciaturas de Relações Empresariais e Gestão de Empresas, realizou-se esta terça-feira e envolveu o titular da cadeira, Bruno Vieira, e oito alunos. Correu bem, pode dizer-se.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Tecnologia OutSystems integra plano curricular de 13 universidades portuguesas

Programa, lançado há um ano, oferece licenciamento gratuito da plataforma low-code às universidades que queiram usá-lo para fins educacionais.

Investigadores de Coimbra vão ajudar a impulsionar ensino da astronomia no mundo

Nuno Peixinho e Rosa Doran representam Portugal no recém-criado gabinete de ensino da União Astronómica Internacional, que visa promover a astronomia nos currículos nacionais.

Reitores de universidades querem aulas presenciais em setembro e verba no Orçamento Suplementar

O Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas antevê uma quebra das receitas próprias das instituições em virtude da crise pandémica e pede ao Governo que acautele o problema no Orçamento que está a preparar.
Comentários