“Vandalização”: Presidente do Instituto Superior Técnico critica mural do Bloco de Esquerda

Arlindo Oliveira criticou o mural realizado pelo partido de Catarina Martins nos muros do campus da Alameda em Lisboa. “Será que a vandalização de património público consta no programa do Bloco de Esquerda?”

O presidente do Instituto Superior Técnico (IST) criticou o mural feito esta semana pelo Bloco de Esquerda no muro desta instituição. “Um graffiti feito hoje, nos muros do Instituto Superior Técnico, por autores (pouco) anónimos”, escreveu Arlindo Oliveira nas redes sociais na quarta-feira, 18 de setembro.

“Será que a vandalização de património público consta no programa do Bloco de Esquerda?”, questionou o responsável do IST, instituição que fica localizada na Alameda Dom Afonso Henriques em Lisboa.

Contactado pelo Jornal Económico, o Bloco de Esquerda rejeitou fazer comentários às declarações do presidente do IST.

O Bloco limitou-se a confirmar que a deputada Mariana Mortágua esteve presente durante a pintura do mural. conforme demonstra uma fotografia partilhada nas redes sociais esta semana.

A questão da propaganda política e da legalidade dos murais políticos está estabelecida na lei eleitoral. “Não é permitida a afixação de cartazes nem a realização de inscrições ou pinturas murais em monumentos nacionais, nos edifícios religiosos, nos edifícios sede de órgãos de soberania, de regiões autónomas ou do poder local, nos sinais de trânsito ou placas de sinalização rodoviária, no interior de quaisquer repartições ou edifícios públicos ou franqueados ao público, incluindo os estabelecimentos comerciais”, segundo a legislação.

Por sua vez, a Comissão Nacional de Eleições (CNE) esclarece num parecer que “é proibida, em qualquer caso, a realização de inscrições ou pinturas murais em monumentos nacionais, edifícios religiosos, sedes de órgãos de soberania, de regiões autónomas ou de autarquias locais, tal como em sinais de trânsito, placas de sinalização rodoviária, interior de quaisquer repartições ou edifícios públicos ou franqueados ao público, incluindo estabelecimentos comerciais e centros históricos como tal declarados ao abrigo da competente regulamentação urbanística”.

 

Ler mais
Recomendadas

Autárquicas: Jerónimo apresenta João Ferreira e CDU como alternativa em Lisboa

O secretário-geral do PCP apresentou hoje a CDU “força da alternativa” em Lisboa nas autárquicas do outono e João Ferreira como o candidato de uma coligação “preparada para assumir todas as responsabilidades” que a população lhe der.

Marcelo promulga alterações do Governo a apoios sociais e realça “cabimento orçamental”

O Presidente da República promulgou hoje alterações do Governo ao acesso a apoios sociais, realçando que ao alargar as medidas recentemente aprovadas no parlamento se reconhece “a sua importância também social e o seu cabimento orçamental”.

João Ferreira critica “política de favor ao promotor imobiliário” em Lisboa

Na apresentação formal da candidatura do PCP à presidência da Câmara de Lisboa, João Ferreira afirmou que “nas últimas duas décadas, Lisboa passou a ser a cada momento aquilo que o especulador queira fazer dela”.
Comentários