Venezuela: Casa Branca insiste que opção militar continua em aberto

Equipa de Guaidó em Washington recebe o presidente paraguaio. Elliott Abrams, representante dos Estados Unidos para a Venezuela, participou da reunião.

A missão diplomática de Juan Guaidó em Washington, reconhecida como representante daquele que é considerado pela Casa Branca – e por mais cerca de 50 países – como o presidente interino da Venezuela recebeu o presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez . Participaram da reunião autoridades como Elliott Abrams, representante dos Estados Unidos para a Venezuela, que disse que “existe” a opção de usar a força para tirar Nicolás Maduro do poder.

Mauricio Claver-Carone, consultor para a América Latina do Conselho de Segurança Nacional, também presente, prometeu acelerar a pressão “de forma dramática” para restaurar a democracia no país latino-americano.

Claver-Carone disse durante o encontro com o presidente paraguaio que o compromisso de Washington “é acelerar a política, acelerar a pressão de forma dramática, seja o que for, até que a usurpação da democracia na Venezuela termine”. E enfatizou que o presidente Trump “sempre esteve muitos passos à frente” que a sua própria administração no cumprimento dessa meta.

Por seu lado, Luis Almagro, secretário-geral da Organização dos Estados Americanos, OEA, também presente, destacou o trabalho do Paraguai, que “sempre foi de luta contra a ditadura da Venezuela”.

Horas antes, o presidente do Paraguai teve uma reunião com o seu homólogo Donald Trump na Casa Branca, na qual reiteraram o apoio dos Estados Unidos e do Paraguai às democracias da região, incluindo ao presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, segundo uma declaração da presidência paraguaia.

Abrams disse ainda que “sabemos é que Guaidó será reeleito presidente da Assembleia da Venezuela”, uma vez que todos os partidos exceto o socialista (de Maduro) disseram que apoiarão o dissidente. “Nós nunca optamos pelo uso da força, nunca, é sempre muito complicado, mas existe [a opção]”, disse.

Ler mais
Recomendadas

Pedro Sánchez recusa reunir com Juan Guaidó em Davos

Desafiando a proibição de sair do território venezuelano, Juan Guaidó decidiu embarcar numa viagem pela Europa onde irá visitar os respetivos chefes de Estado.

Deputado iraniano anuncia recompensa de três milhões de dólares para “quem matar Trump”

Segundo a agência do parlamento iraniano, Icana, Hamzeh disse fazer a oferta em nome dos “três milhões de habitantes de (província de) Kerman”, no sudeste do Irão e terra natal de Soleimani.

Luanda Leaks: Inspeção do Estado vai “a qualquer momento” fazer auditoria à Sonangol

A Inspeção-Geral da Administração do Estado (IGAE) angolana assegurou hoje que “a qualquer momento” vai fazer uma auditoria à Sonangol, mas caso receba qualquer análise da petrolífera vai “avaliar se a mesma corresponde aos pressupostos técnicos e legais”.
Comentários