Venezuela volta a ficar às escuras

O corte de energia elétrica acontece na véspera do protesto convocado pelo autoproclamado presidente e líder da oposição na Venezuela, Juan Guaidó.

Miguel Gutierrez / EPA

A maioria dos venezuelanos está a passar mais uma noite às escuras. A cidade de Caracas e, pelo menos, mais uma dezena de estados deste país sul-americano sofreram um novo «apagão», que está a causar problemas nas várias infraestruturas, sistemas de saneamento e transportes.

O corte de energia elétrica aconteceu às 19:000 (hora local) – cerca das 23:00 em Lisboa – e na véspera do protesto convocado pelo autoproclamado presidente e líder da oposição na Venezuela, Juan Guaidó.

De acordo com a agência noticiosa espanhola “Efe”, as recorrentes falhas energéticas já causaram a paralisação do país durante 10 dias só durante o mês de março. Desta vez, o impacto foi sentido em estados como Arágua, Carabobo, Anzoátegui, Vargas, Monágas, Portuguesa, Nova Esparta, Lara e Zúlia.

A notícia surge um dia depois de a Cruz Vermelha anunciar que vai distribuir ajuda humanitária na Venezuela dentro de duas semanas. “Esperamos conseguir ajudar 650 mil pessoas num primeiro momento”, afirmou Francesco Rocca, presidente da Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, em Caracas.

Relacionadas

Juan Guaidó impedido de exercer funções públicas durante 15 anos

Juan Guaidó está a ser acusado de mentir nas declarações de rendimentos e de ter gastos maiores do que o dinheiro que recebe.

Venezuela volta a sofrer apagões: Alugar um gerador custa 300 euros por dia

O apagão que hoje se repete pelo segundo dia consecutivo afeta quase todos os 23 Estados do país com as enormes reservas petrolíferas do mundo, mas cada vez mais vulnerável em termos de distribuição energética.
Recomendadas

Centeno “ministro” diz em Bruxelas que não espera tomar mais medidas

“Como ministro das Finanças de Portugal, não espero tomar mais medidas. Mas sim, estamos sempre prontos a adotá-las se necessário. E sim, estamos sempre a avaliar riscos. Esse é, aliás, um dos trabalhos mais importantes dos ministros das Finanças”, respondeu, em inglês.

PremiumPSD remete alterações ao OE para depois de eleições internas

Propostas dos sociais-democratas só dão entrada no Parlamento a partir da próxima semana. Direção de Rui Rio chama a si proposta de redução do IVA da eletricidade por ter “relevo político nacional”.

PremiumCarlos Zorrinho: “OE foi muito tático na forma como foi discutido e votado”

Eurodeputado eleito pelo PS entende que as abstenções do BE, PCP, PEV e Livre mostram vontade de continuar a negociar com o Governo. E defende uma transição digital e energética “mais justa” e concorda com propostas de redução do IVA da eletricidade.
Comentários