Volume de negócios na indústria volta a subir em janeiro

O índice subiu, em termos homólogos, 2,5%, de acordo com os dados divulgados esta segunda-feira pelo Instituto Nacional de Estatística.

O índice de volume de negócios na indústria aumentou, em termos homólogos, 2,5% em janeiro, depois de ter terminado 2018 com uma ligeira descida. Os dados divulgados esta segunda-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) mostram que,  nesse mês, as vendas para o mercado nacional aceleraram 2,3 pontos percentuais (p.p.) e para o mercado externo inverteram as perdas e aumentaram 2,6%.

“O agrupamento de Bens de Investimento aumentou 7,9% (5,8% em dezembro) tendo registado o contributo positivo mais expressivo (1,3 p.p.) para a variação do índice total. Os Bens Intermédios aceleraram 2,2 p.p. para uma taxa de variação de 2,9% em janeiro, enquanto o agrupamento de Energia passou de uma redução de 5,2% em dezembro para um aumento de 2,5% em janeiro”, pode ler-se no relatório do INE.

Em dezembro, o volume de negócios na indústria tinha registado uma diminuição de 0,1% no em relação ao período homólogo (-2,2% no mês anterior). O índice do mercado nacional apresentou, no último mês do ano passado, uma variação nula, e o do mercado externo uma redução de 0,2%.

Já os índices de emprego, remunerações e horas trabalhadas neste setor em Portugal tiveram crescimentos homólogos de 1,7%, 3,4% e 0,4% em janeiro, respetivamente (quando em dezembro tinham sido de 1,6%, 4,1% e 2,9%, pela mesma ordem), segundo o organismo de estatística nacional.

Os índices de volume de negócios e emprego na indústria pretendem mostrar a evolução do mercado de bens e serviços, salários e de remunerações neste segmento de atividade a sua desagregação entre mercado nacional e externo. Os números têm por base um inquérito mensal realizado essencialmente por email junto de unidades estatísticas selecionadas a partir das empresas com sede no território.

Ler mais

Recomendadas

Presidente da República exige maior controlo da legalidade na contratação pública

“É naturalmente compreensível – e até desejável – a necessidade de simplificação e de aperfeiçoamento de procedimentos em matéria de contratação pública que possam, com rigor, implicar a melhoria das condições de vida dos portugueses e permitir flexibilizar a atribuição e a alocação dos referidos fundos”, salientou Marcelo Rebelo de Sousa.

Presidente da República veta diploma que altera regras de contratação pública

Este veto do chefe de Estado foi divulgado no portal da Presidência da República.

Natal e passagem de ano: estas são as 14 regras que vão vigorar

Restaurantes abertos até à uma da manhã nas noites de natal e de passagem de ano, e natal sem interdição de circulação entre concelhos são algumas da medidas que vão vigorar durante a época festiva. Governo avalia medidas a 18 de dezembro à luz da evolução da pandemia da Covid-19.
Comentários