Volume de negócios na indústria volta a subir em janeiro

O índice subiu, em termos homólogos, 2,5%, de acordo com os dados divulgados esta segunda-feira pelo Instituto Nacional de Estatística.

O índice de volume de negócios na indústria aumentou, em termos homólogos, 2,5% em janeiro, depois de ter terminado 2018 com uma ligeira descida. Os dados divulgados esta segunda-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) mostram que,  nesse mês, as vendas para o mercado nacional aceleraram 2,3 pontos percentuais (p.p.) e para o mercado externo inverteram as perdas e aumentaram 2,6%.

“O agrupamento de Bens de Investimento aumentou 7,9% (5,8% em dezembro) tendo registado o contributo positivo mais expressivo (1,3 p.p.) para a variação do índice total. Os Bens Intermédios aceleraram 2,2 p.p. para uma taxa de variação de 2,9% em janeiro, enquanto o agrupamento de Energia passou de uma redução de 5,2% em dezembro para um aumento de 2,5% em janeiro”, pode ler-se no relatório do INE.

Em dezembro, o volume de negócios na indústria tinha registado uma diminuição de 0,1% no em relação ao período homólogo (-2,2% no mês anterior). O índice do mercado nacional apresentou, no último mês do ano passado, uma variação nula, e o do mercado externo uma redução de 0,2%.

Já os índices de emprego, remunerações e horas trabalhadas neste setor em Portugal tiveram crescimentos homólogos de 1,7%, 3,4% e 0,4% em janeiro, respetivamente (quando em dezembro tinham sido de 1,6%, 4,1% e 2,9%, pela mesma ordem), segundo o organismo de estatística nacional.

Os índices de volume de negócios e emprego na indústria pretendem mostrar a evolução do mercado de bens e serviços, salários e de remunerações neste segmento de atividade a sua desagregação entre mercado nacional e externo. Os números têm por base um inquérito mensal realizado essencialmente por email junto de unidades estatísticas selecionadas a partir das empresas com sede no território.

Ler mais
Recomendadas

Preços de Transferência: Qual o papel dos prestadores de serviços na ajuda às multinacionais

Criação de valor com os preços de transferência está na ordem do dia. As empresas que querem vir a internacionalizar não podem descurar esta dinâmica. As consultoras estão atentas a esta matéria fiscal com o objetivo de obterem os melhores resultados para os clientes.

Marcelo não se pronuncia sobre crédito da Caixa a Isabel dos Santos

“Não comento casos específicos nesse domínio, como noutros”, disse Presidente da República, questionado sobre as notícias do empréstimo de 125 milhões de euros pela Caixa Geral de Depósitos (CGD) a Isabel dos Santos, sem que a instituição tenha avaliado se a empresária tinha capacidade financeira para pagar.

“Quem não for votar, não diga que outros acabaram por fazer escolhas que não aquelas que queriam”, diz Marcelo

Presidente da República apelou à participação eleitoral este domingo e defendeu que “o voto é de cada qual e desperdiça-lo é verdadeiramente, em todos os momentos, mas agora em particular, um erro enorme”.
Comentários