Wall Street abre mista apesar da subida nas vendas a retalho norte-americanas

A bolsa de Nova Iorque abriu a sessão desta quinta-feira sem tendência definida. Os pedidos de subsídio de desemprego nos Estados Unidos aumentaram ligeiramente na semana passada e as vendas a retalho subiram 0,7% em agosto face a julho.

A bolsa de Nova Iorque abriu a sessão desta quinta-feira sem tendência definida depois da divulgação de dados macroeconómicos distintos: por um lado, os pedidos de subsídio de desemprego nos Estados Unidos aumentaram ligeiramente na semana passada – ainda que se mantenham perto de mínimos pandémicos – e, por outro, as vendas a retalho subiram 0,7%.

Wall Street arranca as negociações com o índice industrial Dow Jones a subir os ligeiros 0,32% para 34.577,57 pontos, o financeiro Standard & Poor’s (S&P) 50o a deslizar 0,05% para 4.478,49 pontos e o tecnológico Nasdaq a cair 0,25% para 15.123,00 pontos. Por sua vez, o Russel 2000 valoriza 0,07% para 2.234,50 pontos.

Em agosto, as vendas a retalho norte-americanas aumentaram em cadeia, surpreendendo os analistas, que antecipavam uma queda de 0,8% na comparação com o mês anterior.

Hoje, um dos títulos em destaque pela negativa é a Beyond Meat. As ações da empresa de refeições vegetarianas afundam 4,25% para 105,99 dólares, depois de o banco de investimento Piper Sandler ter feito um downgrade à fabricante de alternativas à carne. “A Beyond é uma das primeiras líderes em carnes vegetais, mas acreditamos que o seu atual momentum no retalho de todos os canais está abaixo das expectativas”, explicou a empresa numa nota enviada aos clientes e divulgada pela imprensa internacional.

Já a Lucid Group, de formação médica, avança 3,62% para 20,63 dólares, após uma recomendação de compra por parte do Bank of America, conforme explica o analista Ramiro Loureiro. “Foco uma vez mais para as empresas expostas a Macau, como Las Vegas Sandas, Wynn Resorts, depois de a JPMorgan ter cortado as avaliações”, escreve ainda, em research, o trader do Millennium bcp.

O preço do ‘ouro negro’ está a descer menos de 1%. O preço do WTI, produzido no Texas, cai 0,61% para os 72,17 dólares por barril, enquanto a cotação do barril de Brent está a desvalorizar 0,45% para os 75,12 dólares.

Quanto ao mercado cambial, o euro está a cair 0,52% face ao dólar, para os 1,1753 dólares, enquanto a libra esterlina está a perder 0,38% face à moeda dos Estados Unidos, para os 1,3784 dólares.

Recomendadas

S&P 500 inverte tendência de abertura e fecha no verde na antecâmara de resultados do sector tecnológico

Numa semana que verá gigantes tecnológicos como a Netflix ou a Tesla reportarem os seus resultados do terceiro trimestre, a expectativa quanto a números fortes quanto ao sector empresarial norte-americano acabou por levar a melhor face às preocupações do início da sessão causadas pelos desapontantes dados macro vindos dos EUA e da China.

PSI-20 fecha em queda alinhada com bolsas da Europa que foram afetadas pela China

O índice lisboeta fechou com 11 títulos em queda, dos quais se destacam os da Jerónimo Martins que recuaram -2,47%, os da Sonae que perderam -1,35% e os do BCP que voltaram a cair. Na Europa, os ventos asiáticos derrubaram bolsas. Crise energética faz subir yields.

Wall Street começa semana no vermelho depois de dados desapontantes nos EUA e China

A semana arrancou com dados negativos sobre a produção industrial americana e chinesa, onde os números do crescimento no terceiro trimestre também desapontaram ao mostrar uma evolução do PIB abaixo do esperado.
Comentários