Wall Street anima com perspetivas de estímulos fiscais para a economia dos EUA

No início da sessão, o S&P 500 sobe 0,70%, para 3,384.20 pontos, o tecnológico Nasdaq valoriza 1,04%, para 11,283.68 pontos, e o industrial Dow Jones cresce 0,60%, para 27,947.17 pontos.

Reuters

A Bolsa de Nova Iorque abriu a sessão desta quinta-feira em terreno positivo com os investidores a apostarem em mais estímulos fiscais, depois da reunião produtiva entre o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, e a presidente da Câmara, Nancy Pelosi na quarta-feira, sobre o pacote de ajuda contra a pandemia do coronavírus.

No início da sessão, o S&P 500 sobe 0,70%, para 3,384.20 pontos, o tecnológico Nasdaq valoriza 1,04%, para 11,283.68 pontos, e o industrial Dow Jones cresce 0,60%, para 27,947.17 pontos.

O número de novos pedidos de apoio ao desemprego nos EUA na semana que terminou a 26 de setembro foi de 837 mil, uma diminuição em relação aos 873 mil registados na semana anterior, mostram os dados revelados esta quinta-feira pelo Departamento do Trabalho dos EUA.

Apesar de ficarem abaixo das expetativas dos analistas, que se situavam nos 850 mil pedidos, os números hoje conhecidos revelam uma ligeira estagnação da recuperação do mercado laboral norte-americano, ao conferirem a quinta semana seguida em que o indicador se situa na ordem dos 800 mil pedidos semanais.

O número de reivindicações contínuas, por outro lado, caiu quase um milhão, uma queda mais acentuada do que o esperado.

Recomendadas

Wall Street fecha em alta graças à economia e às tecnológicas

A taxa de crescimento da maior economia do mundo surpreendeu os investidores. O crescimento do PIB e os resultados das empresas Facebook, Alphabet, Amazon e Apple puxaram pela bolsa de Nova Iorque que fechou em alta apesar da nova vaga da pandemia.

EDP desiste do processo contra o Estado na CESE. Custos superam probabilidade de sucesso

A energética anunciou ainda que vai pedir a Bruxelas a análise da conformidade relativamente ao futuro do mecanismo de financiamento da Tarifa Social. “A EDP não questiona a existência da Tarifa Social em si mesma, com cujo propósito concorda, mas não pode, atendendo à evolução do respectivo regime, conformar-se com os termos de financiamento”.

Lucro da EDP desce 8% para 422 milhões de euros nos nove meses

A energética salientou que prejuízo em Portugal foi de 23 milhões de euros, numa sequência de perdas que começou em 2018. A nível do grupo, o EBITDA – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – recuou 2% para 2.625 milhões de euros
Comentários