Wall Street fecha em terreno negativo em dia de lucros do Goldman e do Citi

O Goldman Sachs e Citigroup deixam os investidores frios com os seus resultados trimestrais mornos. Os lucros do Goldman Sachs e do Citigroup superam as previsões, mas as suas receitas representam não apenas um recuo em relação ao primeiro trimestre de 2018, como caem abaixo das expectativas.

REUTERS/Brendan McDermid

Fraca sessão em Nova-Iorque perante os resultados do Goldman Sachs e Citi “menos entusiasmantes que os revelados na passada sexta-feira pelo JP Morgan”, diz o analista da Mtrader, Ramiro Loureiro. Ainda na Banca, o Wells Fargo foi revisto em baixa por uma casa de investimento, o que condiciona as ações (+0,37%).

O Dow Jones caiu 0,10% para 26.384,8 pontos; o S&P 500 desceu 0,06% para 2.905,6 pontos e o Nasdaq deslizou 0,10% para 7.976 pontos.

O Goldman Sachs com fraco desempenho em rubricas de receitas trouxe desilusão aos investidores. As ações caíram 3,81%.

O banco americano Goldman Sachs reportou uma quebra de 20% dos seus lucros no primeiro trimestre do ano, tendo superado as estimativas dos analistas, mas em termos de receitas os dados desiludiram.

Também hoje foram conhecidos os resultados do Citigroup, cujo título  teve uma ligeira descida na bolsa (-0,059%).

Segundo uma análise do analista da Mtrader, Ramiro Loureiro, “menos ações em circulação e impostos justificam crescimento do EPS (resultado por ação) do Citi”.

O resultado líquido sobe 2% para os 4,71 mil milhões de dólares no 1º trimestre, justificado pelos menores custos e uma menor taxa de imposto. O resultado por ação (EPS) sobe 11% (grande parte justificado pela redução do número de ações em circulação). O produto bancário totaliza 18,6 mil milhões de dólares, em linha com o esperado.

Já as receitas de trading de produtos de renda fixa sobem 1% para os 3,45 mil milhões, acima dos 3,18 mil milhões de dólares esperados. Enquanto o trading de ações contrai 24% para os 842 milhões de dólares (versus 930 milhões esperados). “A queda do produto bancário e as maiores provisões para perdas de crédito impactaram negativamente no crescimento dos lucros, tendo sido compensado por menos impostos e ações em circulação”, diz a Mtrader.

No mercado do petróleo, o crude West Texas  cai 0,55% para 63,54 dólares.

Ler mais
Relacionadas

Goldman Sachs com quebra de 20% dos lucros no primeiro trimestre

As receitas de negociação caíram 18% para 3,61 mil milhões de dólares, com as receitas de ações a descer 24% e as de renda fixa, moedas e commodities a recuarem 11%.

Última etapa do acordo comercial anima Wall Street no dia em que a banca apresenta mais resultados

Na frente comercial, a Reuters noticiou que o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, revelou que as negociações com a China estão próximas da fase final. A agência de notícias também deu conta que os norte-americanos exigiram que a China refute os subsídios industriais, uma condição para que o acordo seja alcançado.
Recomendadas

Bolsa de Tóquio avança 0,50% no fecho

A bolsa de Tóquio fechou hoje em terreno positivo, com o principal índice, o Nikkei, a avançar 0,50% para 22.200,56 pontos.

Wall Street fecha em alta devido aos bons dados do retalho

Vendas a retalho norte-americanas crescem 1,6% em março acima do esperado. Isso motivou os investidores. Hoje foi o dia em que Pinterest entrou em bolsa.

“Mercados em Ação”: Veja aqui o programa desta semana

Acompanhe o “Mercados em Ação” em direto às 21h00, no site e nas redes sociais do Jornal Económico. E reveja-o através da plataforma multimédia JE TV.
Comentários