Wall Street fecha semana no vermelho depois de novo recorde diário de casos de Covid-19

Depois de duas semanas de ganhos, os três índices norte-americanos fecharam esta semana no vermelho, com medos de uma desaceleração na recuperação económica fruto do aumento de casos de Covid-19 e a falta de novos estímulos por governamentais nos EUA.

Os três principais índices norte-americanos encerraram a semana com perdas, isto no dia seguinte a um novo recorde diário de casos confirmados de Covid-19 nos EUA.

O Dow Jones interrompeu duas semanas de ganhos ao fechar com -0,75% de valorização, caindo para os 29.263,48 pontos. Já o S&P500 caiu 0,68% para os 3.557,54, enquanto que o Nasdaq fechou a sessão a perder 0,42%, ficando-se pelos 11.854,97 pontos.

O número diário recorde de casos confirmados de Covid-19 nos EUA registado esta quinta-feira, 185.759 infeções, gerou alguma preocupação nos mercados e vieram agravar as dúvidas quanto a uma recuperação económica rápida. Além disso, a relutância demonstrada pela administração Trump em avançar com um novo pacote de estímulos à economia acresce a estas dúvidas.

A JPMorgan refletiu estas preocupações na revisão que fez dos dados do PIB para o final do quarto trimestre de 2020, baixando a sua previsão de 3,5% para 2,5%. Também no primeiro trimestre de 2021 o crescimento deverá ser menor do que anteriormente estimado, passando de 2,5% para 2%.

No Dow, a Boeing liderou as perdas ao cair 2,942%, com a persistência do vírus a criar fortes dúvidas sobre a recuperação do setor das viagens.

No Nasdaq, o Zoom (+6,109%) e a Moderna (+5,217%) lideraram os ganhos, com a empresa tecnológica a lucrar com a subida do número de casos, enquanto que a farmacêutica continua a valorizar à boleia dos resultados clínicos da sua vacina. Por outro lado, a Workday Inc liderou as perdas, ao dar um trambolhão de 9,272%.

O S&P500 registou as maiores perdas no setor das viagens e turismo, com a Norwegian Cruise Line a cair 4,9%, seguido da Las Vegas Sands Corp (-4,542%) e a Carnival Corp (-4,508%).

Já o petróleo negociava em alta, valorizando 1,29% com as esperanças de um fim da pandemia trazido por uma vacina a ganharem força e projetarem os mercados para uma recuperação da procura por este bem.

Ler mais

Recomendadas

Wall Street fecha mista com aumento do desemprego

A avalanche de dados macroeconómicos justifica a fraca performance da bolsa. Os dados do emprego semanal dão uma subida dos pedidos de subsídio de desemprego no país pela segunda semana consecutiva, até os 778 mil, muito pior do que o esperado pelo consenso do mercado. Isto pode deixar marcas persistentes no mercado laboral dos Estados Unidos.

CMVM tomou 22 decisões de contraordenação algumas das quais originam coimas que somam 700 mil euros

Na base das decisões da CMVM estão 11 processos relacionados com infrações por violação de deveres dos auditores; cinco processos por violação dos deveres dos intermediários financeiros; três processos por violação de deveres das entidades responsáveis pela gestão de Organismos de Investimento Colectivo; entre outros. A maioria das coimas aplicadas está suspensa.

Bolsa de Lisboa fecha com subida superior a 1%

CTT, EDP Renováveis e BCP subiram mais de 2%. As ações da tecnológica Novabase, que divulgou esta tarde ao mercado o Plano para a Igualdade de Género e Diversidade, caíram 0,61% para 3,27 euros.
Comentários