Wall Street termina otimista apesar da apróximação do prazo das tarifas

A bolsa de Nova Iorque terminou a sessão desta terça-feira com otimismo, apesar de se aproximar a entrada em vigor das tarifas adicionais às importações chinesas (agendadas para o próximo domingo 15 de dezembro) incluindo telemóveis, notebooks e até peixe congelados. Nos principais índices, o industrial Dow Jones cresce 0,08% para os 27,923.0 pontos, o […]

Reuters

A bolsa de Nova Iorque terminou a sessão desta terça-feira com otimismo, apesar de se aproximar a entrada em vigor das tarifas adicionais às importações chinesas (agendadas para o próximo domingo 15 de dezembro) incluindo telemóveis, notebooks e até peixe congelados.

Nos principais índices, o industrial Dow Jones cresce 0,08% para os 27,923.0 pontos, o financeiro S&P 500 sobe 0,05%, para os 3,136.12 pontos e o tecnológico Nasdaq valoriza 0,10%, para os 8,364.00 pontos.

Os investidores continuam a aguardar notícias do comércio e uma decisão por parte da Reserva Federal dos Estados Unidos (Fed). Os Estados Unidos e a China trabalham num acordo para adiar as tarifas, enquanto as negociações sobre um acordo comercial continuam. O acordo de primeira fase pode incluir a reversão das tarifas impostas em setembro.

Esta quarta-feira, a Fed vai decidir sobre as taxas de juros. É esperado que o banco central deixe a sua taxa básica de fundos federais entre 1,5% e 1,75%. O presidente Jerome Powell disse que não são necessários mais cortes numa economia que cresce constantemente.

A Administração e o Congresso Trump concordaram em um novo tratado para substituir o Acordo de Livre Comércio da América do Norte.

Recomendadas

Bolsa de Lisboa em queda com deslize da Galp. Europa encerra em baixa

Os resultados do UBS e o vírus da China que penalizaram o sentimento dos investidores nas bolsas europeias, dizem os analistas. Por cá a Galp foi afetada pela queda do price-target da Morgan Stanley. Já o BCP conseguiu fechar em terreno positivo.

“Mercados em Ação”: Assista ao programa desta semana

Acompanhe o “Mercados em Ação” no site e nas redes sociais do Jornal Económico. E reveja-o através da plataforma multimédia JE TV.

Wall Street em baixa e ressente-se do novo vírus da China

A Comissão Nacional de Saúde da China confirmou que coronavírus é transmissível entre humanos, tendo o vírus chegado aos maiores centros urbanos chineses, incluindo a capital, Pequim, a cidade de Shanghai. A situação está a ter impacto particularmente nos títulos das companhias aéreas e nos operadores de casinos e hóteis norte-americanos. Previsões do Fundo Monetário Internacional sobre o crescimento da economia mundial e nos Estados Unidos também estão a pesar no sentimento dos investidores.
Comentários