Web Summit está a contratar em Lisboa. Saiba para que áreas

A organização da cimeira tecnológica anunciou a abertura de 16 vagas nas áreas de engenharia de software, produção de eventos, desenvolvimento de negócio, marketing e publicidade.

A empresa que gere e organiza a Web Summit anunciou esta terça-feira que está à procura de novos colaboradores para Lisboa. Numa primeira fase, a empresa vai contratar 16 pessoas para áreas de engenharia de software, produção de eventos, desenvolvimento de negócio, marketing e publicidade.

“O nosso investimento em fazer crescer a operação em Lisboa da Web Summit é um símbolo do compromisso à luz da nossa parceria de 10 anos com Lisboa e Portugal”, disse Paddy Cosgrave, CEO da Web Summit.

Para o empreendedor irlandês, o ecossistema de startups e de tecnologia em Portugal é “ativo” no país. “Estamos entusiasmados por nos ligarmos ainda mais”, confessou, em comunicado. Contudo, a multinacional tem também oportunidades de emprego em aberto para os edifícios em Dublin, Londres, Toronto e Hong Kong.

Atualmente, a Web Summit emprega em Portugal 10 pessoas, de seis nacionalidades diferentes. O escritório da empresa irlandesa é na zona do Rato, em Lisboa, mas a equipa de Paddy Cosgrave informou recentemente está à procura de um novo espaço na cidade, com capacidade para 50 a 100 trabalhadores.

A próxima cimeira tecnológica da Web Summit realiza-se na capital portuguesa em novembro e deverá receber mais de 70.000 participantes oriundos de cerca de 170 países.

Relacionadas

Lisboa é a sexta cidade mundial mais procurada para congressos internacionais

O diretor-geral da Associação Turismo de Lisboa revelou que a capital “acolheu 50% dos eventos que se realizaram em Portugal”, mas que se considerar “a região de Lisboa, a percentagem sobre para 55%” sendo que isso contribuiu “para que o país tenha obtido um excelente lugar no ranking internacional”.

Web Summit em risco de sair da FIL

Espaço em Foz do Trancão e Carnide estão em cima da mesa por parte da organização, segundo o “Expresso”.
Recomendadas

Quantas pessoas estão na praia? Esta app diz-lhe onde pode estender a toalha no verão

A aplicação Posso Ir vai dar informações sobre o nível de ocupação das praias, assim como sobre o nível de qualidade da água das praias, o histórico de ocupação, a existência de bandeira azul e vigilância, e as infraestruturas disponíveis.

Mais de 30% dos portugueses fará mais compras online depois do confinamento, diz estudo

Mais de 50% dos portugueses afirma ter realizado mais compras online durante o confinamento, consolidando o boom do eCommerce e contribuindo para a reinvenção do comércio tradicional. Uma tendência que parece ter vindo para ficar depois do confinamento, , com 32% dos portugueses afirmou que planeia fazer as suas compras de forma online com mais frequência do que antes, revela “Estudo MARCO: Hábitos de Consumo Pós Covid-19”.

Veja aqui a chave vencedora do Euromilhões

Em jogo está um prémio de 17 milhões de euros.
Comentários