WeWork chega ao mercado bolsista

Entrada no mercado de ações acontece depois do entrave criado pela pandemia e de uma Oferta Pública Inicial (IPO) falhada.

Depois de várias polémicas e entraves a startup de partilha de escritórios WeWork entrou no mercado de ações, segundo conta o “New York Times” esta quinta-feira, 21 de outubro. A empresa encerrou o arrendamento de 500 escritórios este ano que permitiu poupar perto de 350 milhões de euros.

Recorde-se que a empresa tinha anunciado a fusão com a BowX Acquisition por 7,6 mil milhões de euros em março deste ano, depois de em 2019 a WeWork ter sido avaliada em 40 mil milhões de euros.

Pelo meio a empresa tentou uma Oferta Pública Inicial (IPO) que acabou por não se concretizar depois da WeWork ter apresentado prejuízos na ordem dois mil milhões de euros. Por outro lado, depois de ter sido avaliada em 45 mil milhões de euros, a WeWork deve ser negociada com uma capitalização de mercado aproximado dos cinco mil milhões.

Outra situação que adiou a entrada em bolsa da startup acabou por ser a pandemia de Covid-19.

O ex-CEO, Adam Neumann, ainda possui 11% de participação na WeWork e pode observar as reuniões do conselho a partir do próximo ano. Uma situação que levanta questões sobre se a WeWork pode algum dia escapar da sua sombra.

Recomendadas

PremiumEugénio Rosa: “A substituição da administração do Banco Montepio é necessária”

“Sou totalmente contra uma administração que caia de paraquedas no Banco Montepio”, defende Eugénio Rosa, líder da lista C, candidata às eleição dos órgãos associativos do Montepio Geral.

PremiumPedro Corte-Real: “Há garantias do primeiro-ministro que o Montepio ia ser apoiado”

Pedro Corte-Real, que lidera a lista B para a presidência da Associação Mutualista Montepio Geral, defende que o Estado deve ajudar o Banco Montepio e diz que “esse apoio ainda não foi dado por falta de credibilidade das direções”.

Goldman Sachs quer aumentar diversidade étnica e de género nas cotadas do S&P 500 e do FTSE 100

A Goldman Sachs Asset Management diz que quer estar na vanguarda para impulsionar uma maior diversidade e inclusão nos conselhos de administração em todo o mundo.
Comentários