“Which is the safest place to stay?”. António Costa compara infeções por Covid-19 no Reino Unido com a região do Algarve

O gráfico partilhado por António Costa reporta os casos de infeções por cada 100 mil habitantes e dão uma ‘vantagem’ inequívoca ao Reino Unido. Assim, o Algarve apresenta 142 infeções por cada 100 mil habitantes enquanto o Reino Unido apresenta 418 infeções por cada 100 mil habitantes.

Twitter

O primeiro-ministro, António Costa, reagiu à decisão do Governo britânico, no sentido de excluir Portugal da lista de países seguros, com uma publicação no Twitter onde compara as infeções por Covid-19 no Reino Unido e na Região do Algarve. “Qual é o local mais seguro para ficar?”, questiona o primeiro-ministro em Inglês.

O gráfico partilhado por António Costa reporta os casos de infeções por cada 100 mil habitantes e dão uma ‘vantagem’ inequívoca ao Reino Unido. Assim, o Algarve apresenta 142 infeções por cada 100 mil habitantes enquanto o Reino Unido apresenta 418 infeções por cada 100 mil habitantes.

O primeiro-ministro termina a publicação (escrita em Inglês) a convidar os turistas britânicos para que venham passar umas férias seguras ao Algarve.

 

O sistema de “corredores de viagem” vai entrar em vigor na próxima sexta-feira 10 de julho e permite evitar que quem chegue destes países tenha de ficar 14 dias em isolamento, como acontece atualmente a todas as pessoas que chegam do estrangeiro, ou arriscam uma multa de mil libras (1.100 euros).

“Esta lista poderá ser aumentada nos próximos dias, após discussões adicionais entre o Reino Unido e parceiros internacionais”, refere a página na Internet do Ministério dos Transportes britânico.

Mesmo assim, todas as pessoas que chegam ao Reino Unido têm de preencher um formulário com os contactos pessoais e informações sobre o local onde vão ficar alojadas.

A lista de países foi elaborada após uma “avaliação de risco” pelo Centro de Biossegurança Comum [Joint Biosecurity Center], em conjunto com a direção geral da saúde de Inglaterra [Pubic Health England] e teve em conta fatores como a prevalência de coronavírus, o número de novos casos e a trajetória potencial da doença.

O anúncio feito hoje aplica-se apenas a Inglaterra porque a Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte têm autonomia sobre matéria de saúde e cabe aos respetivos governos determinar as medidas que pretendem introduzir.

Ler mais
Relacionadas

“Incidência elevada de casos, principalmente na Grande Lisboa”. Embaixada britânica justifica exclusão de Portugal

“Devido à incidência relativamente elevada de casos de covid-19, principalmente na região da grande Lisboa, o governo britânico decidiu continuar a desaconselhar todas as viagens que não sejam essenciais para Portugal continental”, justificou a embaixada.

“Em maio, os britânicos consideravam Portugal um milagre”. Confederação do Turismo lamenta decisão do Reino Unido

“É uma decisão que lamentamos imenso e que não compreendemos. Em maio, os britânicos consideravam Portugal um milagre e, desde maio, registamos menos internamentos e mortos [relacionados com a pandemia de covid-19] e os nossos serviços de saúde estão melhor apetrechados”, afirmou o presidente da CTP

Reino Unido dá luz verde para viagens à Madeira e Açores, mas mantém quarentena no regresso

“Estes países foram avaliados como não apresentando mais um risco inaceitavelmente alto para os britânicos que viajam para o estrangeiro”, refere o comunicado do Ministério, aludindo que os critérios incluem considerações sobre a saúde pública.
Recomendadas

Investimento mundial em infraestruturas 5G deverá ser superior a seis mil milhões de euros em 2020

Segundo o responsável pelo estudo da Gartner, Kosei Takiishi, o investimento mundial total em redes móveis, sobretudo no 5G, não será mais elevado devido ao impacto da pandemia da Covid-19.

Bundesbank vai continuar a participar nas compras do Banco Central Europeu

O banco central da Alemanha confirmou que vai permanecer no programa de aquisição de ativos do setor público (PSPP) do BCE, depois de concluir que estão cumpridos os requisitos que tinham sido pedidos pelo Tribunal Constitucional alemão em maio.

CTT regista prejuízo de dois milhões de euros no primeiro semestre de 2020

Prejuízo foi justificado com a evolução negativa do lucro antes de juros e imposto de renda (EBIT), “parcialmente compensada pelo comportamento imposto sobre o rendimento do período”. Os rendimentos operacionais também decresceram, devido ao impacto da pandemia da Covid-19.
Comentários