Zuckerberg ‘às compras’ em Espanha num investimento de 70 milhões de euros

A Facebook prepara-se para fechar o acordo que vai confirmar a incursão da empresa de Mark Zuckerberg no mundo dos videojogos, estando por dias a compra da espanhola PlayGiga por 70 milhões de euros

A Facebook prepara-se para fechar o acordo que vai confirmar a incursão da empresa de Mark Zuckerberg no mundo dos videojogos, estando por dias a compra da espanhola PlayGiga por 70 milhões de euros, conta o “Cinco Días” esta sexta-feira, citando fontes próximas das negociações. Ao confirmar-se esta operação, será a primeira compra do fundador da rede social mais famosa do mundo na Península Ibérica.

Há vários meses que a startup de videojogos oriunda de Madrid procura investidores para potenciar o seu modelo de negócio, que se baseia na transmissão por streaming de jogos eletrónicos. A PlayGiga, segundo o “Cinco Días” pretende ser para os videojogos o que a Netflix é para filmes e séries, uma plataforma para distribuição de jogos via streaming.

Este modelo prevê que não seja necessário a um subscritor comprar jogos ou consolas ou ter de realizar downloads, instalações ou atualizações. A PlayGiga conta já com parcerias acordadas com as produtoras Warner, Disney, Capcom, Sega e Square Enix.

A par do que os gigantes Google, Amazon, Apple e Microsoft já fizeram no mundo dos videojogos, a Facebook dá sinais agora de querer olhara para a indústria dos jogos eletrónicos.

Recomendadas

Epson Europa vê Portugal como “mercado totalmente estratégico”

Raúl Sanahuja, responsável de Relações Públicas e Comunicação da Epson, considera que as empresas portuguesas são mais “ousadas” e “lançadas” na integração de tecnologia de impressão.

“Problemas no setor de aviação convertem-se em oportunidades”, considera CEO da EuroAtlantic

Quais os grandes desafios que o setor da aviação vai ter que ultrapassar? Eugénio Fernandes, CEO da EuroAtlantic, esclarece que a empresa funciona em contraciclo com o mercado e que os problemas no setor convertem-se em oportunidades. Quanto aos problemas, este responsável aponta a falta de pessoal como questão a ultrapassar.

PremiumPartner da Peugeot lidera vendas nacionais da marca

Jean-Philippe Imparato explicou ao Jornal Económico a evolução global da marca no ano passado, com uma quebra de 8,8% registada nas suas vendas mundiais (excluído o mercado do Irão).
Comentários