Energia & Ambiente Actualidade

Alterações climáticas: Governo tem 1,3 milhões de euros para avaliar vulnerabilidade do país

O Ministro do Ambiente e da Ação Climática vai assinar nesta segunda-feira, 7 de setembro, o contrato do projeto Roteiro Nacional para a Adaptação 2100 – Avaliação da vulnerabilidade do território Português às alterações climáticas no século XXI (RNA 2100).

Silopor vai investir mais de meio milhão de euros na instalação de 1.650 painéis solares na Trafaria

Prevê-se que esta unidade de produção para autoconsumo possa suprir toda as necessidades do edifício central do terminal portuário.

Hidrogénio: Salvador Malheiro desafia João Galamba a demonstrar que não está “a fazer um frete a alguém”

Secretário de Estado da Energia criticou “insinuação gratuita” e pôs em causa que o presidente da Câmara de Ovar tenha lido ou entendido a estratégia nacional para o hidrogénio. “Não parta outra vez para o insulto (como já fez com outros). Fica-lhe mesmo mal enquanto governante da Nação”, respondeu Malheiro.

EUA querem suspender atividade da Chevron na Venezuela

Os EUA só garantem a integridade dos ativos da Chevron na Venezuela até 1 de dezembro. O Tesouro norte-americano quer que a Chevron suspenda a sua atividade local, enquanto os EUA apertam o cerco a Nicolás Maduro. A Chevron não se mostrou disponível para sair da Venezuela, sabendo-se que os grupos russos e chineses estão interessados em desenvolver maiores atividades no petróleo venezuelano.

Imposto de 50 dólares por tonelada de CO2 pode triplicar incumprimento do crédito dos setores da energia e petróleo

Um estudo da Oliver Wyman concluiu que a introdução de uma taxa de imposto de 50 dólares por tonelada sobre as emissões de dióxido de carbono (CO2) das empresas que atuam nas indústrias da energia e do petróleo pode triplicar o seu risco de incumprimento do crédito.

Procura de petróleo deve cair 30 milhões de barris por dia em abril, alerta Bloomberg

Citando o maior comerciante mundial de petróleo, a agência Bloomberg quantifica a queda prevista para este mês no consumo global, o que pressionará a descida das cotações internacionais de petróleo para níveis muito baixos. O banco Goldman Sachs refere que entre os países mais vulneráveis à descida dos preços do petróleo estão os EUA. No Estado de Wyoming já se vende crude abaixo dos 3 dólares por barril.
Ver mais artigos