3.800 euros: Genebra vai pagar o salário mínimo mais elevado do mundo

Os 500 mil eleitores da cidade suíça aprovaram o salário mínimo proposto pelos sindicatos locais e partidos de esquerda, depois de já terem sido rejeitados duas vezes em 2011 e 2014. Medida entra em vigor a partir de 17 de outubro.

Genebra, Suíca

Os trabalhadores de Genebra, na Suíça, vão passar a receber um salário mínimo de 3.800 euros por mês, sendo este o mais alto do mundo, depois dos residentes locais terem aprovado a medida numa votação surpresa motivada pelos relatórios de aumento da pobreza na cidade devido ao coronavírus, conta o jornal “The Guardian” esta quinta-feira, 1 de outubro.

Por hora, os trabalhadores da cidade de Genebra, a terceira cidade mais cara do mundo, só superada pela também suíça Zurique e Ashgabat, capital do Turcomenistão, vão passar a ganhar 21 euros, mais do dobro da vizinha França.

Os 500 mil eleitores da cidade suíça aprovaram o salário mínimo proposto pelos sindicatos locais e partidos de esquerda, depois de terem sido rejeitados duas vezes em 2011 e 2014. O aumento do salário mínimo foi aprovado por pouco mais de 58% dos eleitores de Genebra e a medida entra em vigor a partir de 17 de outubro.

Michel Charrat, presidente de uma organização independente que apoia os cidadãos que vivem e trabalham na fronteira franco-suíça, descreveu o resultado da votação como uma “marca de solidariedade” para com os pobres da cidade.

Antes da votação de domingo, Alexander Eniline do Partido Trabalhista Suíço (PST-POP) afirmou que “a introdução de um salário mínimo é um requisito fundamental de justiça e uma medida essencial contra a precariedade”.

Recomendadas

EDP desiste do processo contra o Estado na CESE. Custos superam probabilidade de sucesso

A energética anunciou ainda que vai pedir a Bruxelas a análise da conformidade relativamente ao futuro do mecanismo de financiamento da Tarifa Social. “A EDP não questiona a existência da Tarifa Social em si mesma, com cujo propósito concorda, mas não pode, atendendo à evolução do respectivo regime, conformar-se com os termos de financiamento”.

‘Fintech’ crescem em Portugal apesar da pandemia, revela relatório

De acordo com o “Portugal Fintech Report 2020”, apresentado esta manhã pela Associação Portugal Fintech, “a maior parte das ‘fintechs’ em Portugal situa-se nos verticais de ‘pagamentos e transferências’, ‘insurtech’ e ‘criptomoeda’, estando 43% na fase de ‘seed’” (fase inicial de desenvolvimento).

Portugal Blue quer distribuir 75 milhões de euros em investimentos na economia azul

A Portugal Blue quer mobilizar mais de 75 milhões de euros de capital privado, público e europeu para fomentar o ecossistema da economia azul portuguesa, disponibilizando capital de risco e expansão a mais de 30 empresas, em todos os estágios de desenvolvimento. O programa de investimento cobrirá até 70% da dimensão dos fundos selecionados, com o intuito de potenciar a capacidade crítica da plataforma local da economia azul.
Comentários