50.964 alunos garantiram entrada no ensino superior. Consulte no JE as notas e as vagas que sobram para a 2.ª fase

Os resultados da primeira fase do Concurso Nacional de Acesso, divulgados este domingo pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior mostram um acréscimo de 15% face ao número de colocados o ano passado nesta fase.

São 50.964 os alunos que garantiram entrada nas universidades e politécnicos portugueses, segundo os resultados da primeira fase do Concurso Nacional de Acesso, divulgados ao primeiro minuto deste este domingo, 27 de setembro, pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

Consulte aqui as vagas a concurso, as vagas preenchidas, as médias de entrada nas várias instituições de ensino e as vagas que sobram para a segunda fase.

O número de candidatos e de colocados subiu em 2020 como nunca. Em relação à primeira fase do concurso do ano passado são mais 15% os novos estudantes no ensino superior público. E o número ainda vai crescer por via da segunda e terceira fases do concurso nacional e do ingresso através de outras modalidades de acesso.

Do total de alunos colocados, 30.671 foram-no em estabelecimentos de ensino universitário e 20.293 em politécnicos, representando aumentos de 12% e 18%, respetivamente do que no ano passado.

De acordo com os dados da Direção-Geral do Ensino Superior, os colocados em ciclos de estudo com maior concentração de melhores alunos (Índice de excelência dos candidatos), aumentou cerca de 29% face ao ano anterior, passando de 1.540 para 1.984 colocados.

Há a registar também um acréscimo de 13% nos estudantes já colocados em ciclos de estudos que visam a formação em competências digitais, que cresce de  6.486, no ano passado, para 7.344 colocados, a par com a consolidação da Iniciativa Nacional de Competências Digitais, INCoDe.2030.

De igual modo, regista-se um crescimento de 20% nos estudantes colocados nas instituições localizadas em regiões com menor pressão demográfica, ou seja, mais 2.028 estudantes.

Os dados divulgados pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior referem ainda um aumento de 37 colocados no curso de medicina ou ciclos básicos de medicina face a 2019, totalizando 1.548 estudantes.

Por seu turno, o contingente especial para estudantes com deficiência aumentou 39% face a 2019, registando 312 estudantes colocados.

Para a segunda fase do concurso sobram 6.050 vagas, representando uma diminuição de 10% em relação a 2019. Há, no entanto, instituições que esgotaram a sua capacidade, como o ISCTE-IUL, que conseguiu encher todas as vagas na 1ª fase. Também na Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, na Escola Superior de Enfermagem de Lisboa e na Escola Superior de Enfermagem do Porto não resta qualquer vaga e na Universidade Nova de Lisboa só resta uma.

As candidaturas à 2.ª fase do Concurso Nacional de Acesso 2020 decorrem entre 28 de setembro e 9 de outubro.

Com base nos resultados da primeira fase e nas estimativas das instituições de ensino superior para as outras vias de ingresso, a Direção-Geral do Ensino Superior “prevê que se inscrevam no ano letivo 2020/21 cerca de 95 mil novos estudantes no ensino superior público e privado, incluindo cerca de 73 mil estudantes nos cursos de licenciatura e mestrados integrados e mais de 9,5 mil estudantes em formações curtas de âmbito superior i.e., cursos técnicos superiores profissionais, TESP’s”.

Ler mais
Recomendadas
Ana Rita Bessa

Colégios de ensino especial ameaçados pedem um milhão no OE2021

Em causa estão cerca de dez colégios que educam crianças com necessidades especiais. Ana Rita Bessa, do CDS-PP foi a parlamentar mais sensível ao problema, garantindo que vai apresentar propostas de alteração em sede de Orçamento do Estado.

Plano de Resiliência pode ser “excelente oportunidade” para modernizar universidades

Os reitores António Sousa Pereira e António Fontainhas Fernandes, presidente do CRUP e presidente cessante, disseram aos deputados que o alojamento estudantil e as instalações das universidades estão carentes de investimento e o Plano é o lugar certo para incorporar soluções para tão graves problemas.

Estudo em casa regressa esta segunda-feira com incidência no básico e alargado ao secundário

Depois de cinco semanas em que a RTP Memória repôs blocos pedagógicos temáticos do ano anterior, arrancam esta segunda-feira, 19 de outubro, os programas do ano letivo 2020/21. Uma das novidades é a criação de um bloco de orientação para o trabalho autónomo.
Comentários