PremiumAbrandamento atinge economia portuguesa

Apesar de ter mantido o crescimento homólogo de 1,9% no terceiro trimestre, Portugal não ficou imune à deterioração da economia europeia. Menos procura externa levou a desaceleração do PIB em cadeia.

Os dados do PIB revelados nesta quinta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) mostram que o abrandamento europeu está a ter reflexos na economia portuguesa, apesar de o ritmo de crescimento homólogo no terceiro trimestre ter sido semelhante ao dos três meses anteriores.

O PIB cresceu 1,9% em comparação com o mesmo período do ano passado e, segundo a estimativa rápida divulgada pelo INE, a procura interna registou um contributo positivo para a variação homóloga do PIB, semelhante ao observado no segundo trimestre. Verificou-se “uma aceleração do consumo privado, enquanto o investimento registou um crescimento menos intenso”, mas o contributo da procura externa líquida foi negativo, “observando-se uma aceleração das importações e das exportações de bens e serviços”.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Desemprego aumenta 1,5% em dezembro, diz IEFP

No final do mês de dezembro de 2019, estavam inscritos nos Centros de Emprego 310.482 indivíduos, o que corresponde a uma variação homóloga de -8,4% (28.553 pessoas) e a uma variação mensal de 1,5% (4.521 pessoas).

Saldo conjunto das balanças corrente e de capital cai para 1.209 milhões em novembro

O saldo conjunto das balanças corrente e de capital fixou-se, até novembro, nos 1.209 milhões de euros, menos de metade dos 3.415 milhões de euros obtidos no período homólogo, divulgou hoje o Banco de Portugal (BdP).

Fruta Feia já tirou duas mil toneladas do lixo e entregou 1 milhão de euros aos agricultores

Isabel Soares, mentora da cooperativa Fruta Feia explicou que chegar a este número em seis anos de existência do projeto significa que este é “um modelo que funciona e que conseguiu, baseado na responsabilidade do consumidor, salvar duas mil toneladas [de alimentos] do lixo”.
Comentários