Adolfo Mesquita Nunes pede congresso no CDS para “apelar ao seu sentimento vital” do partido

Para o antigo dirigente centrista, “o próximo conselho nacional devia responder a uma pergunta: estão as coisas a correr bem ou chegamos a um ponto em que temos de voltar a ouvir o partido”.

Nuno André Ferreira/LUSA

O antigo dirigente do CDS-PP, Adolfo Mesquita Nunes lançou o desafio de o partido marcar um congresso nacional para que se possam esclarecer algumas questões. Através das redes sociais, justificou que o objetivo do congresso é “apelar ao sentimento vital” do partido.

“Dei este passo porque senti que o partido precisa apelar ao seu sentimento de vital e é por isso que eu pedi um congresso”, sublinhou Adolfo Mesquita Nunes na sua página pessoal no Facebook. O vídeo publicado na plataforma esta segunda-feira teve como objetivo explicar porque se disponibilizou para a liderança do CDS-PP.

Para o antigo dirigente centrista, “o próximo conselho nacional devia responder a uma pergunta: estão as coisas a correr bem ou chegamos a um ponto em que temos de voltar a ouvir o partido, em que temos de voltar a pensar, independentemente do congresso passado”.

Sobre o passado do CDS-PP, Adolfo Mesquita Nunes apontou que “no ano passado, o CDS vinha de um péssimo resultado eleitoral e apresentaram-se duas candidaturas distintas e muito mobilizadas para dar a volta ao resultado. As duas estavam conscientes de que era preciso dar a volta ao resultado”.

“Não estava em causa o desaparecimento do partido, estava em causa como saber dar a volta a esse resultado. Havia uma esperança no ar e atrevo-me a dizer que a direção atual do partido, naquele congresso, representou essa esperança de uma forma particular”, sublinhou Adolfo Mesquita Nunes.

 

 

Recomendadas

Legislativas: Cerca de 40% dos deputados do PSD eleitos em 2019 vão ficar fora do parlamento

No final da reunião, que durou cerca de três horas, e culminou com a aprovação das listas, com 71% de votos favoráveis, o presidente do PSD, Rui Rio, assumiu que a renovação foi um dos objetivos da direção, mas rejeitou que tivessem sido excluídos todos os nomes que não apoiaram o atual presidente.

Rui Rio diz que há “clarificações” mas recusa limpeza nas listas de deputados

Questionado se não teme ouvir, no Conselho Nacional que se seguirá, críticas de saneamento, o presidente do PSD disse esperar que não, pelo menos de um ponto de vista “global” das listas.

Ex-ministra Constança Urbano de Sousa vai abandonar o parlamento

Esta posição consta de uma mensagem que Constança Urbano de Sousa enviou aos deputados do PS do distrito do Porto, círculo pelo qual foi eleita deputada nas eleições legislativas de 2019.
Comentários