AHRESP pede apoios para restaurantes e hotéis no regresso à normalidade (com áudio)

Associação entende que o Governo não pode “descurar a importância de continuar a apoiar as empresas, depois de mais de um ano e meio de quebras para pandemia”.

A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) lança um apelo ao Governo para que apoie as empresas agora que a atividade económica do país se prepara para regressar à normalidade com o fim das restrições impostas pela pandemia.

A associação defende que neste regresso o Governo não pode “descurar a importância de continuar a apoiar as empresas, depois de mais de um ano e meio de quebras para pandemia”, que acabaram por levar a “perdas drásticas”.

Através do seu boletim diário, a associação congratula-se com a reabertura dos espaços de atividade noturna, salientando que face ao sucesso do processo em vacinação em Portugal não existia justificação para que a terceira fase do desconfinamento não fosse para a frente.

Por outro lado, a AHRESP recorda que a crise provocada pela Covid-19 ainda não acabou para as empresas de alojamento turístico, restauração e similares, sendo por isso “fundamental que se mantenham apoios e se incentive o consumo nestes estabelecimentos”.

Recomendadas

Crédito a empresas vai cair este ano face a 2020, avisa Paulo Macedo

As empresas “recorreram às linhas para alongar maturidades e por isso vão precisar menos de crédito a curto prazo”, avisou o CEO da CGD que teceu ainda críticas ao Programa Retomar. “Alguém se candidatou? Só por curiosidade”. Em alternativa defendeu o prometido “Programa Capitalizar”. Banca vai ter primeiro stress test ambiental já em 2022, anunciou.

Toyota movido a hidrogénio bate recorde: 1.360 km sem reabastecer

O Toyota Mirai bateu o recorde de distância com um único tanque para os automóveis a hidrogénio.

Presidente demissionário da CP explica decisão no Parlamento. Veja em direto

A pedido do PSD, Nuno Freitas é ouvido esta quarta-feira na Comissão de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação a pedido do PSD, para falar da sua saída e do futuro da empresa.
Comentários