Alibaba: homem mais rico da China faz anos, cumpre promessa e deixa império superior a 410 mil milhões de euros

Com um património de 38 mil milhões de dólares, e o título de “empresário mais carismático de sempre”, Jack Ma renuncia o cargo de CEO da empresa mais valiosa da Ásia no dia do 55º aniversário. Daniel Zhang assume a chefia do grupo fundado há 20 anos.

Jack Ma

Há cerca de um ano, Jack Ma anunciava aquilo que se tornou esta terça-feira oficial: iria sair, quando fizesse 55 anos. Hoje, 10 de setembro de 2019, cumpre 55º aniversário e dá sequência à promessa. E o seu sucessor já foi escolhido: Daniel Zhang, atual CEO da empresa. O homem mais rico da China, e CEO do grupo Alibaba, vai deixar a Zhang um império no valor de 460 mil milhões de dólares (416 mil milhões de euros).

Agora, Ma vai focar-se na filantropia em áreas como a educação, os direitos dos animais, a economia ambientalmente sustentável e a igualdade entre homens e mulheres. A festa anual da Alibaba, este ano, vai acontecer num estádio com capacidade para 80 mil pessoas, na cidade onde a companhia nasceu, numa garagem, em Hangzhou. Foi em 1999.

Professor de inglês no início da carreira, Jack Ma sempre defendeu a importância da educação na sociedade. Esta terça-feira, dia do seu aniversário, é, também, dia dos professores na China.

Segundo a Reuters, Jack Ma não vai desertar da empresa por completo. O empresário deixa o cargo de presidente-executivo da empresa que ajudou a fundar, mas vai manter-se na administração, ao lado de mais 35 pessoas, onde terá direito a nomear a maioria dos futuros líderes da gigante chinesa, onde mantém uma participação acionista de 6,22%.

A agência noticiosa aponta que existe um claro contraste entre Ma – considerado um dos empresários e líderes mais carismáticos de sempre – e Zhang – que foi considerado pelo aniversariante como “metódico” e com um “raciocínio semelhante a de um computador”. Porém, sublinhou no mesmo momento, em 2018, que o agora sucessor “tem a coragem de assumir modelos de negócios e indústrias inovadoras do futuro”.

O plano de demissão anunciado por Ma, no ano passado, foi considerado fora do normal, já que é raro um fundador de uma empresa tecnologica tão grande e transformadora se aposentar tão cedo.

Sob a liderança de Ma, o Alibaba cresceu e tornou-se na empresa mais valiosa da Ásia. Emprega mais de 100 mil pessoas e expandiu-se para os setores financeiros, de computação na cloud e inteligência artificial. Ainda assim, a empresa tem tido abrandamento nas vendas e a guerra comercial da China com os EUA não tem ajudado. Porém, Ma não tem parado e levou a empresa a fazer um investimento de 2,7 milhões de dólares em plataformas de retalho e numa empresa de streaming de música. O seu sucessor, Daniel Zhang, enfrenta novos desafios à medida que o mercado chinês fica mais maduro.

A sua história é muitas vezes comparada com a de Steve Jobs, embora Jack Ma indique que não é nenhum especialista ou visionário em tecnologia. O fundador do Alibaba gosta de lembrar as suas origens humildes e que, na essência, continua a ser um professor, a sua primeira profissão.

Ler mais
Recomendadas

Atenção à sua smart TV. Televisões inteligentes enviam dados privados para Netflix e Facebook

A Amazon, Google, Akamai e Microsoft foram as empresas mais contactadas por parte das smart TV. A Universidade de Northeastern conduziu o estudo em 81 aparelhos distintos e encontrou “casos notáveis de exposição de informação” privada.

Nova Iorque suspende venda de cigarros eletrónicos com sabor

A venda destes produtos está proibida por 90 dias e serve como uma lei de emergência até os EUA chegarem a um consenso político sobre o passo a seguir.

Empresas de pirotecnia acusam Governo de “perseguição absurda e infundada”

Críticas surgem depois da tutela ter emitido despachos que proíbem o lançamento de fogo de artifício durante vários dias em diversos distritos devido ao alerta vermelho da Proteção Civil para risco de incêndio.
Comentários