Angola reabre concurso para quarto operador de telecomunicações

Para a divulgação internacional do concurso e a captação do interesse de grandes operadores mundiais de telecomunicações serão realizadas sessões de ‘roadshow’.

A abertura do concurso para a atribuição do quarto Título Global Unificado para Prestação de Serviço Público de Comunicações Eletrónicas em Angola está aberto, oficialmente, a partir desta segunda-feira, 30 de Setembro.

A informação foi dada pelo governo angolano, através do Grupo de Trabalho Interministerial, constituído pelos Ministros das Finanças, das Telecomunicações e Tecnologias de Informação e da Economia e Planeamento, criado pelo Despacho Presidencial n.º 61/19, de 30 de abril.

A nota do executivo angolano avança que, para a divulgação internacional do concurso e a captação do interesse de grandes operadores mundiais de telecomunicações, serão realizadas sessões de ‘roadshow’: a primeira está programada para o Dubai, durante a semana com início a 7 de outubro do corrente ano.

Nos termos da Lei dos Contratos Públicos, sendo o presente procedimento um Concurso Limitado por Prévia Qualificação, tem duas fases: uma primeira fase de Candidaturas, que neste caso vai até ao dia 8 de novembro de 2019, para habilitação dos interessados; e uma segunda fase, de submissão das Propostas pelos candidatos qualificados, que se seguirá após a conclusão da primeira.

A fase de Propostas será restrita aos candidatos que forem qualificados, após apreciação pela Comissão de Avaliação da sua conformidade com os requisitos do concurso. Os candidatos qualificados serão convidados a apresentar as suas propostas técnicas e financeiras, dispondo de um prazo de 60 dias.

Segundo o comunicado, “buscando maior transparência e celeridade, o procedimento concursal decorrerá no Portal de Compras Públicas, acessível no endereço www.compraspublicas.minfin.gov.ao”. “Nessa plataforma electrónica, os interessados podem aceder ao anúncio e demais peças do concurso, submeter candidaturas, solicitar esclarecimentos e apresentar propostas”, pode ler-se.

O governo de Angola espera que no final do processo o país possa contar com um novo operador de comunicações electrónicas, com relevante capacidade financeira e tecnológica. “Desta forma, poderá contribuir para a melhoria da concorrência no sector, com mais inovação tecnológica, mais qualidade de produtos e serviços e melhores preços, tudo em benefício dos cidadãos e da economia nacional”, informa o comunicado.

Presidente angolano anulou primeiro concurso público em abril

Em abril uma nota emitida pela Casa Civil do Presidente da República dava a conhecer o cancelamento do concurso internacional para a 4.ª operadora de telefonia móvel, que teve como vencedor a Telstar.

Por Edjaíl dos Santos

Ler mais
Recomendadas

Mutualista diz que fusão do Montepio com BCP colide com os interesses dos associados

“O Banco Montepio dispõe de soluções de capital ajustadas às suas necessidades e encontrará o seu próprio caminho de estabilização”, garante a instituição liderada por Virgílio Lima. “Uma fusão desta natureza corresponderia à sua descaracterização, algo que colide com os interesses da Associação e dos associados”, defendem.

Grupo Os Mosqueteiros investe 25,3 milhões para abrir mais seis lojas Intermarché em Portugal

Este investimento irá permitir a criação de 265 novos postos de trabalho de norte a sul do país, asseguram os responsáveis do grupo francês de distribuição.

Tribunal espanhol adia audições dos responsáveis do CaixaBank sobre compra do BPI

Segundo a agência Efe, problemas técnicos impediram a audição telemática do presidente da Criteria e ex-presidente do CaixaBank. O julgamento que está em curso desde 2018 decorre de uma queixa de acionistas minoritários que se sentiram lesados com algumas operações inerentes à compra do BPI em 2017.
Comentários